Tiki Taka insosso. 24 outubro 2016 tiki taka

O quê dizer quando um esmeraldino fanático troca um jogo do Goiás pelo campeonato brasileiro série B, por uma festinha no sábado à tarde?!?

Foi isso que ocorreu comigo no último jogo, disputado no sábado, 22/10.

Para fazer essa coluna, tive que assistir o VT do jogo e ler reportagens sobre o confronto.

A primeira impressão que tive é que o Paysandu consegue ser pior que o limitado Goiás. Sim…! o time esmeraldino dominou as ações. Teve muito mais posse de bola, mesmo jogando no campo do adversário. E isso refletiu na vitória? Infelizmente não.

Foi semelhante ao jogo contra o Paraná. Só que naquele dia, o confronto era no Serra Dourada e o time sulista bem pior que o nortista.

Contra esses timecos piores que o verde, Kleina até acerta em escalar três atacantes, Gamalho, Walter e Rossi. Mas o gol tem que sair, porque sem a posse da bola, o Goiás fica muito vulnerável, uma vez que dentre os três, Rossi é o único que ainda dá algum combate. Resumindo: sem a bola, temos dois homens a menos. Dessa forma, uma escalação ofensiva como esta contra o virtual campeão da série B, o ACG, no dia 05/11, será suicídio.

Ah, mas falando em dois homens a menos, me questionaram se não eram três: e o Márcio Lagartixa!?!? Ah, não… Xápralá!! Em outra crônica falaremos disso de novo. Hoje não.

A bem da verdade, o Goiás é ineficiente. Essa é a avaliação da torcedora fanática Cirene Silva, expressada através de uma rede social, com a qual concordo plenamente. Essa é a palavra: ineficiência! Um “tókin” pra lá, um “tókin” pra cá, e o gol mesmo que transforma o duelo em vitória, “nekas de pitibiribas”. Uma espécie de Tiki-Taka paraguaio, sem qualquer objetividade. O gol achado que determinou o empate, convertido por David, foi puro consolo – insuficiente para apagar mais uma decepção verde. Lembram quando a Espanha chegou à Copa do Mundo do Brasil jogando só no “tókin”?!? Pois é… A então campeã do mundo foi desclassificada ainda na primeira fase, após levar um 5×1 da Holanda logo de cara e depois ser derrotada por 2×0 pelo Chile.

Negócio de “tókin” aê, não dá certo não, Goiás…!! Sai dessa, moooooosss!!

O quê dizer desse time que tinha um orçamento de R$80 milhões no caixa para disputar a série B e não conseguiu nem ao menos figurar na primeira parte da tabela… E o G4 então?!? Que sonho…!

A diretoria é pífia. Errou muito mais que acertou e o resultado final todos sabem: mais um ano na segundona.

Harlei MenezesEis que surge a notícia que Sergio Rassi renunciará ao final da temporada. Não acredito. Mas seria bom que o fizesse. Um novo ânimo e fôlego faria bem ao time verde. Chega de ser o campeão das certidões negativas…! A agremiação precisa ter mais ambição.

Logo depois desta notícia, a decepção. Marcelo Almeida seria o Presidente e convidaria Harlei Menezes para ocupar a diretoria de futebol.

Ah não, gente…! Tenham dó e também a santa paciência. Outra vez essa estapafúrdia história de repatriações?!? A serrinha deveria se chamar Museu Esmeraldino, porque só vive de passado. É Fernandão, é Iarlei, é Léo Lima, é Enderson Moreira, é Walter e tantos outros… Já pediram e o Goiás chegou a cogitar as recontratações de Grafite, Amaral, Josué, Caíque, Tabata, Goulart, Egídio e outros…

Agora Harlei?!? Putz. Um gaiato ali retrucou: Ah, mas ele fez muitos cursos nesse período…

Nooooooossa, que bom, hein?!? Então, cara pálida, que ele comece num clube pequeno, adquira experiência, prove seu talento e depois pleiteie algo do tamanho do Goiás Esporte Clube. Por enquanto, o trabalho dele como dirigente no Goiás se resume a um rebaixamento. Recontratá-lo seria um tremendo retrocesso. Já deu esse enredo de ser empregado no clube verde porque tem uma história de amor com aquela camisa… Esse discurso já está enfadonho.

Creio, portanto, que se tornará minha rotina ir a “festinhas”, “clubes”, “butecos”, “pescarias”, etc em 2017, quando o Goiás estiver jogando.

Voltamos ao nosso velho dilema momentâneo: faltam CINCO pontos para o Goiás entrar de férias. Acaba logo, 2016!!

Isso é tudo, por hoje, Família Esmeraldina! Até a próxima…!!

Juninho BILL

PS: Parabéns Goiânia linda, pelos seus 83 anos… Nunca te esqueci. Um dia, quem sabe eu volto…?!?

Tags:, , , , ,

4 Comentários Quero comentar!

  • Colocar o Walter no mesmo rol de craques que o Verdão teve no passado foi o ponto infeliz do comentário.

    Aliás, a inserção do Tufão (Walter), de Egídio e de Ricardo Goulart no rol de ex-jogadores esmeraldinos como Fernandão, Iarlei, Léo Lima, , Grafite, Amaral, Josué, Caíque, Tabata (além do técnico Enderson Moreira) foi pura infelicidade.

    Esses três jogadores juntos dariam muito retorno ao Verdão dentro e fora de campo!

    Comentário by Almir — 24 de outubro de 2016 @ 19:50

  • Futebol que é bom “nekas”, foi exatamente isso que vi diante do Payssandu, bom deixa isso pra la, mas ainda faltam 5 pontinhos. Hoje tem Goias x Crb, e se o Goiás não vencer hj, podem apostar, a “boleirada” vai querer dindim para buscar esses 5 pontos, podem anotar.

    Harlei de volta? Eu vejo com bons olhos, a sua primeira passagem foi debaixo de um orçamento limitadíssimo, penso que mais uma oportunidade seria interessante sim.

    Renuncia de Sergio Rassi, será que ele tem colhão pra isso? Deveria ter !

    Comentário by cicero jr — 25 de outubro de 2016 @ 9:14

  • Questão de opinião, Almir.

    Continuo respeitando a sua, mas sou contra qualquer repatriação.

    Comentário by cicerojr — 25 de outubro de 2016 @ 14:32

  • Exatamente, repatriar Harlei na direção não ia resolver nossos problemas, pelo contrário, haveriam novos problemas!! Mas pra quem contrata Márcio pro gol, eu não acho nada anormal que façam mais essa cagada de trazer o mão de alface de volta pra direção.

    Comentário by Felipe — 26 de outubro de 2016 @ 6:50

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário