Sorte de quem sai, azar de quem fica… 6 agosto 2016 Renan em treinamento no Goiás

No último final de semana eu li e reli a entrevista que fiz com Julinho Camargo em 2015. Sabemos que o “SE” não existe no futebol. Mas a chance da gente estar na Série A em 2016 com ele era muito grande. Já perdi a conta de quantas vezes eu li essa entrevista. Foi um grande aprendizado. E a cada leitura que faço, algum detalhe me chama a atenção. Dessa vez, pelo contexto que o Goiás vive com a contratação do Márcio e renovação de contrato do Ivan, foi:

“O Renan é o jogador que vale o investimento. Porque ele é um jogador diferenciado a nível nacional. Sem sombra de dúvidas é um dos melhores goleiros que tem do Campeonato Brasileiro e talvez só não tenha chance na seleção brasileira por não jogar num grande centro” (Julinho Camargo).

De fato, Renan brilhou em 2015 até o jogo contra o Avaí. A peleja estava 1 a 1, quando aos 48 minutos do segundo tempo, André Lima cometeu falta em cima do arqueiro e fez o gol da vitória do time catarinense. Nesse mesmo lance, Renan lesionou-se. E ficou de fora na derrota para a Ponte Preta em pleno Serra Dourada. Derrota que custaram os cargos de Julinho Camargo e seu auxiliar Ivan Brito (irmão de Renan).

Renan_2

André Lima fez o gol da vitória do Avaí em cima do Goiás fazendo falta no goleiro Renan (Reprodução: SPORTV).

Depois do Julinho veio o Artur Neto. Foi nessa época que eu mesmo vi vários jogadores saindo dos treinos reclamando em voz alta, xingando, não fazendo questão de esconder a sua insatisfação… Tinha até jogador da base! Mas tudo sobrou para os gaúchos do grupo: criaram o bordão “panela farroupilha”. Adjetivo ridículo utilizado na tentativa de defesa do então treinador e amigo dos cronistas. E amigo da alta cúpula da Serrinha também. Quem não entende de futebol dentro das quatro linhas, precisa se apegar às fofocas dos vestiários para defender um incompetente.

E o desempenho do Renan caiu consideravelmente. Veja bem… Um goleiro campeão de Libertadores, que foi pra Europa, que jogou Olimpíadas pela seleção, que estava no Goiás sendo comandado por Julinho Camargo (técnico com metodologia e princípios estruturais) e que passou a ser comandado por um apitador de coletivo. É isso mesmo: Artur Neto apitava coletivo. Aí baixou o desanimo, a crise com o rebaixamento, a insatisfação por não renovar o seu contrato pelo tempo que desejava e o principal: a guerra (perdida) contra o sistema.

Eu acompanhei cerca de 80% dos treinos (de TODOS os técnicos) do ano passado. Esse ano eu não fui em nenhum porque os treinos passaram a ser fechados para a torcida (o que é uma palhaçada, diga-se de passagem). Mas é pelo o que eu vivi ano passado aonde eu quero chegar: o Renan não está saindo do Goiás hoje. Saiu do Goiás com Julinho Camargo e com o seu irmão. Ou melhor: saiu quando o Goiás deixou de ser um time de verdade.

Goleiro Renan recebe homenagem dos torcedores esmeraldinos (Reprodução: Site oficial do Goiás Esporte Clube).

Goleiro Renan recebe homenagem dos torcedores esmeraldinos (Reprodução: Site oficial do Goiás).

Não sou amigo do Renan. Tenho apenas admiração pela sua competência. E o Goiás não está perdendo o goleiro para a Ponte Preta. Ou Palmeiras. Ou qualquer outro time que seja (não é estranho um jogador com mercado de Série A não servir para vestir a camisa de um clube que está na zona de rebaixamento da Série B?). O Goiás está perdendo o Renan para o sistema. Sistema amador! Sistema que contratou Artur Neto! Que contratou Léo Condé!  Sistema que nos levou para a zona de rebaixamento da Série C a uma rodada do fim do primeiro turno!!!

Será que ninguém percebeu isso?

Ok… São “águas passadas”… Já que Renan não serve mais, contrata-se outro goleiro.

O problema é que esse sistema que está fazendo o Goiás perder o goleiro Renan, faz também o Goiás perder os torcedores Renans. E os Joãos, Elders, Cíceros, Juninhos, Ivanezes, Hélios, Carlãos, Pedros, Marinas, Laíses… E os Rodolphos também. É o sistema que impossibilita o Goiás de amanhã ser melhor do que foi ontem. De ser melhor do que há 10 anos, quando disputamos uma Libertadores da América.

Rodolpho Chinem

Tags:, , ,

1 Comentário Quero comentar!

  • Boa noite! Rodolpho, concordo praticamente com tudo o que vc disse o sistema ( HP EDMINHO e SR ) não deixa que o Goiás evolua, cresça!

    No meu modo de ver o rebaixamento do ano passado passou diretamente pela a incompetência da FAMÍLIA PINHEIRO E DO SR. No momento em que o SR não quis investir no time é o HP contratou o Arthur Neto ( o Goiás perdeu 4 partidas consecutivas com ele e ao final ficou faltando 4 pontos para se manter na A )

    Mas tbem aponto as falhas do Renan no ano passado comigo fundamentais para colaborar com o rebaixamento.

    Ó Renan este ano falhou muito e deveria sentar no Banco e acredito que isso pode ser uma fase. Agora dai a colocar ele a venda é uma distância muito grande!

    A contratação do Marcio foi um erro e a renovação do Ivan foi um erro maior ainda.

    Projetando o Goiás para o resto do campeonato, eu particularmente estou com medo do rebaixamento e digo mais estou prevendo uma derrota para o Sampaio e se isto ocorrer acho que será queda livre até i final do ano!

    Como torcedor vou torcer para que consigamos pelo menos nos manter na série B.

    Ary Jr.

    Comentário by Ary — 7 de agosto de 2016 @ 1:28

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário