Rassi: “Temo a queda, mas acredito até o último instante!” 16 outubro 2015 SR - Domicio Gomes - O popular

O presidente Sergio Rassi concedeu entrevista ao jornalista Juninho BILL, onde teve a oportunidade de responder aos questionamentos de alguns colunistas e torcedores e do próprio entrevistador. Polêmicas à parte, o mandatário do clube esmeraldino demonstrou cordialidade e respeito à grande massa alvi-verde, não se abstendo de responder nenhuma pergunta que lhe foi dirigida.

 

JB – A contratação de quatro treinadores no período de (10) meses é uma prova que o planejamento estabelecido para 2015, foi equivocado?

SR – Trouxemos um treinador que tinha feito belo trabalho no Atlético/GO, enaltecido por toda a imprensa, o Wagner Lopes. Em seguida, Hélio dos Anjos, que tinha a simpatia de maioria do conselho, torcedores e que foi o mais votado na pesquisa, gozando de muita simpatia entre os funcionários do clube. Julinho Camargo, revelação no sul, técnico de modernas teorias e excelentes treinamentos, muito elogiado por Falcão, de quem seria auxiliar direto e responsável pelos treinos em campo. Finalmente, Artur Neto, para esse fim de campeonato, onde precisávamos de alguém que já estivesse familiarizado com o clube e gozasse da simpatia e confiança dos dirigentes, uma vez que possui antecedentes importantes no clube, como a disputa do título da Copa Sul americana.

Obviamente temos que considerar que trabalhamos com nomes dentro da realidade financeira que vivenciamos!!

JB – Considerando que a derrota para a Ponte Preta se deu em razão da ausência no pagamento da premiação e não por deficiência técnica do treinador Julinho Camargo, qual a razão do mesmo ter sido demitido?

SR – O argumento desta questão não procede! Não perdemos para a Ponte Preta por falta de pagamento de premiações!! Os atletas já tinham se reunido comigo antes e lhes garanti que teriam pagamento integral assim que recebesse dinheiro pela negociação do Toloi, como realmente fiz. Nunca deixei de cumprir uma promessa com eles e os mesmos sabem disso.

Quanto ao Julinho, segurei-o em quatro derrotas. Daí ser eliminado pelo Brasília e perder pra Avaí – time praticamente morto – e Ponte Preta – em casa – ambos jogos praticamente valendo seis pontos, foi demais!

Ele será um grande treinador, desde que monte um grupo numa pré-temporada, a seu gosto e aprimore seu “beira de campo”.

JB – Qual o critério técnico para a contratação do Artur Neto, tendo em vista que ele estava há dois anos fora do mercado? O senhor recebe informações da metodologia de trabalho do atual treinador? (Pergunta feita pelo torcedor e colunista Rodolpho Chinem)

SR – Estamos em um momento que não se tem tempo hábil para “novo” treinador. Até se aclimatar com clube, cidade, imprensa, torcida e cartolagem, já era…

Mas seu trabalho está em avaliação a todo instante. Trata-se de “amigo” do clube, pessoa de excelente caráter e apesar de “não estar em exercício”, manteve-se acompanhando jogos e atualizado no meio.

JB – Qual o grau de influência que o colegiado, capitaneado pelo senhor Hailé Pinheiro, tem nas decisões diretivas do clube? (Pergunta feita pelo torcedor Marcio Henrique Souza Peres)

SR – Trata-se do maior defensor de nossas causas e valores, e tem (52) anos de dedicação a serviço do clube! Costumo ouvi-lo, mas a palavra final é sempre consensual. Às vezes, nos divergimos…

JB – A preferência do diretor Harlei Menezes influenciou nas escolhas e contratações dos técnicos Helio dos Anjos e Arthur Neto, ambos seus amigos e antigos treinadores?

SR – O nome do Hélio foi indicado pelos conselheiros. Já o Artur pelo Sr. Hailé Pinheiro. Ambos com aprovação nossas – Eu e o Harlei – dentro das justificativas expostas no primeiro questionamento.

Rassi-HarleiJB – Como o senhor avalia o trabalho – contestado pela torcida e pela imprensa – do diretor Harlei Menezes no que concerne a planejamentos prévios e contratações? (Pergunta feita pelo torcedor e colunista Weber Carlos)

SR – Pagamos o ônus da “primeira vez”! Ele compensa esta possível deficiência com muito trabalho, correção, dedicação e honestidade. Precisávamos deste perfil. Contávamos com fato de, sendo recém atleta e exemplo de jogador, facilitar suas ações…

Como todo diretor de futebol, contudo, seu trabalho será avaliado ao final, levando-se em conta as limitações financeiras já amplamente expostas.

JB – Desestimulado após a derrota para o Figueirense no Serra Dourada, o senhor disse que já havia feito que tudo que poderia pelos jogadores do plantel e que não houvera a contrapartida. Alguns dias depois, o senhor anunciou que estaria disposto – nem que fizesse empréstimos pessoais – a pagar um milhão de reais de premiação para não ser rebaixado. Trata-se de contra-senso ou é a única saída plausível? Não teria sido mais razoável oferecer o “bixo” antes do jogo contra a Ponte Preta? (Pergunta feita pelo torcedor e diretor do Portal Esmeraldino, Wanderson Guimarães)

SR – Tento seguir minhas convicções! Tenho por filosofia que não deveria haver premiação por algo ruim a ser evitado, como o rebaixamento, por exemplo. Talvez sim por objetivos grandiosos alcançados, como títulos, classificações honrosas, etc… Mas temos que nos adaptar ao meio em que vivemos e às situações momentâneas, facultando-se mudança de estratégia à medida que se torne necessário.

Faremos de tudo para evitar o rebaixamento, uma vez que todo o ganho financeiro/administrativo alcançado poderá ser maculado com o descenso.

JB – O senhor acredita na permanência do Goiás na série A?

SR – Temo a queda, mas acredito até o último instante. Seria minha maior decepção, o rebaixamento.

JB – A sua inexperiência no mundo do futebol, aliada a inexperiência e limitações do Harlei Menezes, além dessa falta de sintonia entre ambos, são os fatores responsáveis para a eminente queda do Goiás para disputar mais uma série B? (Pergunta feita pelo torcedor e diretor do site Família Esmeraldina, Cícero Junior)

SR – A inexperiência e a limitação podem ser compensadas com outros elementos: boa intenção, honestidade, transparência, harmonia e amor verdadeiro pela agremiação. Caso sejamos rebaixados não creio serem estes – mencionados na pergunta – os fatores determinantes…

JB – Caso o Goiás vá para a série B, o senhor acha viável mandar os jogos no estádio olímpico, que tem capacidade proporcional àquela divisão? (Pergunta feita pelo torcedor, repórter e colunista do Portal Esmeraldino, Wagner Oliveira)

SR – Não tenho ideia formada sobre isso. Cada situação a seu tempo. Seria interessante e premente, ao meu ver, a reforma e modernização do Serra Dourada.

JB – Independente do descenso, o senhor não se candidatará a reeleição? O senhor fez algum planejamento para 2016 – na série A ou B – ou é necessário aguardar os jogos que ainda faltam para esse tipo de atitude? (Pergunta feita pelo torcedor Manoel Fernandes)

SR – Definitivamente não pretendo me reeleger. Apenas afirmo que deixarei ao próximo presidente o melhor cenário econômico/financeiro ao clube em toda a sua história. Possíveis planos para série B: exclusivamente o título! Para Série A: possivelmente o título e ao menos o G4!!

JB – Por fim, sua gestão ficou marcada pela responsabilidade financeira e pagamento de dívidas, todavia, pode ter como contra-peso, um rebaixamento. Como o senhor avalia, de uma forma geral, o seu biênio na presidência do Goiás Esporte Clube.

SR – Prefiro aguardar até o último jogo…

******************

E você torcedor esmeraldino, qual sua reflexão sobre a entrevista?? Se manifeste!! Escreva o quê pensa!! Registre sua opinião!! Sem ofensas pessoais, é claro.

Por hoje, é isso, galera de sangue verde. Até a próxima…!

Juninho BILL

(Fotos: Domício Gomes – Jornal O Popular // Rosiron – Site Oficial do Goiás)

Tags:, , , , , , ,

8 Comentários Quero comentar!

  • Novamente falando em títulos ano que vem… É Sérgio Rassi, ja ta na hora de cuidar dos corações por e deixar o Goiás pra outros!

    Comentário by Paulo Cesar — 16 de outubro de 2015 @ 11:22

  • Parabenizo a todos os companheiros!!!! Excelentes colocações!!! A cada dia que passa é notório o fortalecimento da Mídia Verde!

    Comentário by André Rodrigues — 16 de outubro de 2015 @ 11:41

  • Amigos André Rodrigues e Paulo César!!
    Obrigado pelo prestígio da leitura!!
    Nosso único intuito com esse trabalho é fortalecer o Goiás e a mídia verde!!
    Vamos em frente!!!

    Comentário by Juninho BILL — 16 de outubro de 2015 @ 11:56

  • Parabéns pela entrevista! Sérgio Rassi como sempre vivendo no mundo da lua! Respostas prolixas e evasivas! Já caímos! Revoltante!

    Comentário by Carlao — 16 de outubro de 2015 @ 12:25

  • Parabéns pela entrevista! Mais uma vez o Senhor presidente Sérgio Rassi não falou nada com nada, ele deveria ser homem e honrar tudo qud ele prometeu quando comecou o seu mandato, um verdadeiro idiota baba ovo do Senhor Haile Pinheiro.

    Comentário by Dyeine Costa — 16 de outubro de 2015 @ 15:56

  • Excelente entrevista e quem o tri da B!!! SIMBORA Verdaoooo!

    Comentário by Manoel — 16 de outubro de 2015 @ 22:43

  • Corrigindo e que venha o Tri da B kkkkkk

    Comentário by Manoel — 16 de outubro de 2015 @ 22:44

  • Acho que o ano foi muito dificil principalmente na parte financeira mas na parte tecnica tambem foi horrivel quando o goias tem um time fraco no campeonato goiano e mesmo assim ainda e campeão ai fica dificil porque a gente pensa que o time e forte e ai o time entra no brasileiro com este e ai ver que o time e fraco dai consertar um time no meio do brasileirao sem dinheiro com jogadores bons já nos concorrentes é muito dificil e a chance e minima . o certo agora hj é acertar com esse povo que não e da casa e que os salários alto e ficar somente com os nossos jogadores e valoriza-los se rste tecnico tiver tiver ganhando alto dispense o também pois ele não acrescentou nada e se prepare desde agora pra montar uma equipe coesa e competitiva com jogadores comprometidos com o clube só. Assim o trabalho trará frutos o trabalho tem que ser planejado e equilibrado para poder dar bons frutos .traga a Torcida pra jogar com faça com que elrs volte a confiar na diretoria porque o goias e maior que tudo isso que está. Acontecendo este ano fazendo tudo certo e organizado logo logo iremos colher muitos frutos a torcida quer e merece ser feliz chega de humilhação. Deus nos abençoem.

    Comentário by edson rosa da silva — 17 de outubro de 2015 @ 11:40

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário