Novos contratados encaram Goiás como uma boa vitrine Nacional e Internacional 8 janeiro 2015 NOVOS

Para os novos contratados pelo Goiás, o time Esmeraldino está sendo encarado como uma boa vitrine nessa temporada 2015.  Isso foi observado pelos atacantes Bruno Henrique, de 24 anos, e Ruan, de 21, que foram apresentados, ontem, pelo superintendente de futebol do alviverde, Harlei Menezes. Os atletas parecem querer seguir os passos dos pratas da casa Erik e Thiago Mendes, vendido ao São Paulo, no final do ano passado.

São cinco as novas caras no elenco, sem contar com Pither, Arthur, Jarlan, Matheus Alves e Péricles – e, segundo o dirigente, não podem ser consideradas apostas. “A seleção foi minuciosa”, assegurou Harlei. O lateral direito Bocão e o zagueiro Júnior Lopes foram apresentados na terça-feira. Hoje, será a vez do lateral esquerdo Diogo Barbosa, ex-Atlético. Ontem, ele treinou com o grupo.“Tinha proposta do Flamengo, mas a que me deixou mais motivado foi a do Goiás, porque pesa da forma que eu acho que é a certa”, explicou Ruan, que defendeu o Paysandu, na Série C do Brasileiro, em 2014. Ele firmou vínculo de um ano com o esmeraldino. “Os jogadores novos querem fazer o nome e construir algo no futebol. Isso faz com que a gente tenha mais vontade de jogar.”

O pensamento de Bruno, que estava no Itumbiara e foi vice-artilheiro da última edição da Divisão de Acesso do Goianão, com nove gols, é similar. “O Goiás revela muitos jogadores novos e das categorias de base. Eu me espelho no Erik. Tomara que a gente possa jogar junto e ajudar a equipe”, projetou o jogador, que afirmou ainda ter bom cabeceio.

O teto salarial do time Esmeraldina está na casa do R$ 50 mil e revela que só contratou jogadores que demonstraram estar bem compromissados com aquilo que o clube pode oferecer. Harlei prometeu, daqui por diante, trazer reforços de renome. Mas esbarra na questão financeira. “Talento não tem idade. Está aí a oportunidade para eles (recém-chegados) fazerem da carreira deles o que o Erik fez”, finalizou.

Nenhum Comentário Quero comentar!

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário