Missão impossível?!? Goiás busca vitória contra o Galo 9 agosto 2015 pena que voa

Todos os leitores desse site e desta coluna publicada sempre aos domingos, estão acostumados com o discurso objetivo, verdadeiro, direto e ético, sem rodeios ou meias palavras.

Apresentamos críticas na maioria das vezes, no afã de ajudar a agremiação Goiás Esporte Clube a se aprimorar. A liberdade de imprensa é aqui exercida na sua essência. Não há “rabo preso” com ninguém… Por isso me sinto a vontade para deliberar sobre qualquer assunto pertinente a este clube de futebol.

Pois bem. Diante de um quadro caótico, resultante de atitudes amadoras da diretoria esmeraldina, aliado ao total divórcio com a torcida verde, abro um insólito espaço para parabenizar o presidente Sergio Rassi pela postura por ele assumida em relação à contratação do volante Sergio Manoel. O presidente, diante das efusivas manifestações contrárias da “galera” nas redes sociais como também da imprensa especializada, reconheceu que o Goiás não precisaria de mais um volante e sim de um atacante. Recuou. Desfez o negócio. 

Várias foram as justificativas… Que não acertaram as bases do tempo de contrato, que não passou nos exames físicos, etc, etc, etc… Isso não importa, aliás, nem interessa. O certo é que o atleta havia sido dispensado pelo time da série B, Atlético Goianiense, por deficiência técnica há poucos dias. Não poderia, portanto, ser reforço para jogar a série A. 

Muito bem, Presidente… Parabéns!! O senhor não deve ter mesmo compromisso com o erro. Fez bem em repensar o negócio e abortar a operação!

Discordo de muitas atitudes do Presidente. Em que pese eu sempre ressaltar sua integridade e honestidade como médico e homem de bem, tenho várias restrições ao seu comportamento como mandatário do clube esmeraldino. E a principal delas é a falta de atitude, a inércia, enfim, a forma pacata como conduz o clube. Essa falta de ousadia não se encaixa com a gerência de uma agremiação futebolística, e principalmente, um das privilegiadas que disputam a série A. 

Sempre supliquei em meus artigos opinativos que o Dr. Sergio Rassi assumisse o departamento de futebol, que fosse mais autoritário afim de que sua vontade prevalecesse. Enfim, que encarnasse de vez a condição de “mandatário!” e não apenas um voto a mais nas reuniões que decidem os destinos do Goiás. Esse parlamentarismo às avessas, onde não há um chefe com voz ativa, não funciona no futebol. 

Rassi-HarleiFornecer ao diretor de futebol Harlei Menezes, todos os poderes; observar as reiteradas demonstrações de incompetência para exercer o cargo; e, por fim, assistir passivamente tudo isso como se tivesse tudo bem, cá entre nós, é pedir para cumprir a pena, em regime fechado, no lugar do verdadeiro criminoso… praticamente um tiro no pé ou mesmo um suicídio. 

Portanto, bater a mão na mesa, agir, reagir, impor sua vontade e ter voz ativa, foi uma atitude que, verdadeiramente, merece congratulações! Esse é o caminho, Doutor!!  Não é um incentivo para loucuras, Presidente… não é isso!! Todavia, faça as contratações pontuais que podem evitar o rebaixamento, dispense ou empreste os atletas que não servem mais!! Assuma o mandato para o qual o senhor foi eleito!! Urgente!! Os esmeraldinos anseiam por isso há sete meses…!!! 

==================================

Vamos ao jogo de hoje à tarde contra o Galo Mineiro. Enfrentar o líder não será tarefa fácil. O time alvi-negro é bem postado em campo, bem treinado por Levir Culpi, e mesmo diante de desfalques consideráveis, será um páreo duro. A equipe, se manter o ritmo no segundo turno, tem pinta de campeã.

JulinhoO Goiás não vai a campo com três atacantes. Não é isso, caros torcedores!! O técnico Julinho Camargo, com a volta do Erik da seleção e do Bruno Henrique de lesão, optou por escalar os dois no ataque. Com isso, recuou o “meia-atacante” Murilo, para jogar no meio-campo ao lado do Felipe Menezes. Devido a suspensão do Patrick, David deixará de jogar como meia-ofensivo para jogar como volante ao lado de Rodrigo. 

É o que o Goiás tem de melhor para ser escalado no momento. Talvez o Liniker no lugar do Murilo, mas nada que possa causar uma diferença gritante, uma vez que os dois garotos da base se equivalem e estão entrosados com o restante do elenco.

Julinho Camargo pode não ser um ícone dentre os treinadores de futebol que atuam no mercado brasileiro, contudo, ele não seria louco de perder a posse da bola no meio-campo para o CAM, na tentativa de implantar o sistema 4-3-3.  Não seria plausível testar esse esquema justamente contra o líder. O treinador do Goiás é apenas limitado, não burro.

Vamos para o confronto! Encarar o adversário de peito aberto, sem afobamento, aproveitando-se das brechas que certamente haverão de aparecer. O futebol é mágico exatamente pelo fato de, nem sempre, o favorito vencer!

O Galo é mais alto, mais forte e mais robusto. O Periquito deve ser inteligente.

Isso é tudo, por hoje, Família Esmeraldina! Até domingo que vem…!! 

  Juninho BILL

(Fotos: Site Oficial do Goiás e Portal raposa.blogspot)

Tags:, , ,

2 Comentários Quero comentar!

  • Reação como precisamos de você, a cada jogo que a vitória não vem o abismo vai aumentando, jogo difícil mas não impossível, espero que nossos jogadores tenha tranquilidade para converter as oportunidades que vão aparecer , que seja uma mas converta a mesma!! Vamos Goiás we are can!! Parabéns a todos os papais pelo dia de hoje e aos esmeraldinos que o presente seja uma vitória logo mais!!! Abraços!!!

    Comentário by Manoel — 9 de agosto de 2015 @ 12:55

  • Grande Juninho !.
    Achei que o Sergio Rassi deveria ter tido essa postura antes mesmo dessa informação ter vazado ! Vetar um jogador que não serve nem para o ‘Calango do Centro oeste’ … . Hoje fico com um pé atrás, esse time do CAM é arrumado e rápido, mas o Verde sempre gostou de jogos grandes ! Abraços !

    Comentário by Paulo Cesar — 9 de agosto de 2015 @ 13:13

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário