Léo Condé e os resultados 2 setembro 2016 leo_conde_01

Léo Condé no comando do Goiás venceu cinco, empatou seis e perdeu quatro jogos. Somou 21 pontos em 42 disputados – 50% de aproveitamento. Na entrevista coletiva que deu após a partida de ontem, disse que se o Goiás tivesse esse mesmo aproveitamento desde o início do campeonato, estaria na parte de cima da tabela.

E ele tem razão! Se o time esmeraldino conquistasse a metade dos pontos que disputou desde a primeira rodada, estaria em 7º lugar.

Por isso as críticas apareceram aqui nesse espaço mesmo diante das vitórias contra o Náutico (http://www.familiaesmeraldina.com/tecnicamente-falando-foi-um-peladao) e Tupi (http://www.familiaesmeraldina.com/carta-aberta-ao-presidente-sergio-rassi). Porque o desempenho precisa caminhar junto dos resultados. É muito mais fácil conquistar os objetivos traçados numa temporada com um time com modelo de jogo do que com um amontoado de jogadores.

E contra o Criciúma, além do resultado não ter vindo, o desempenho continuou o mesmo das pelejas anteriores: fraco. Os erros foram os mesmos: falta de entendimento das linhas, pouquíssima pressão no portador da bola, falhas na recomposição e marcação individual.

O gol do Criciúma reflete bem esses erros:

Chinem II

Sem sincronismos nos movimentos, a subida de pressão do Marcão tornou-se inútil (Reprodução: PREMIERE)

chinem I

A jogada do gol nasce com o goleiro do Criciúma. Marcão sobe para fazer a pressão, mas ninguém acompanha. Note que o atacante esmeraldino chega a abrir os braços demonstrando insatisfação por isso (Reprodução: PREMIERE)

 

Anderson Salles perde na primeira bola. Alex Alves faz a cobertura correta (em diagonal). Mas a bola cai justamente no espaço que Léo Sena deveria estar (Reprodução: PREMIERE)

Anderson Salles perde na primeira bola. Alex Alves faz a cobertura correta (em diagonal). Mas a bola cai justamente no espaço que Léo Sena deveria estar (Reprodução: PREMIERE)

No chutão pra frente do time do Criciúma, Léo Sena que virou lateral direito após a saída do Ednei está completamente fora da linha defensiva (Reprodução: PREMIERE)

No chutão pra frente do time do Criciúma, Léo Sena que virou lateral direito após a saída do Ednei está completamente fora da linha defensiva (Reprodução: PREMIERE)

 

Sistema defensivo composto por 6 jogadores: ninguém recompõe pelos dois lados. Jefferson já se prepara para estourar a linha (Reprodução: PREMIERE)

Sistema defensivo composto por 6 jogadores: ninguém recompõe pelos dois lados. Jefferson já se prepara para estourar a linha (Reprodução: PREMIERE)

Na sequência da jogada, o jogador do Criciúma toca para trás. Nessa hora, a primeira linha defensiva (Léo Sena, Anderson Salles, Alex Alves e Jefferson) deveria subir para empurrar os volantes para exercer pressão no portador da bola e deixar os jogadores mais adiantados em impedimento. Essa movimentação requer treinamentos e um líder para acionar – normalmente é um dos zagueiros ou o goleiro (Reprodução: PREMIERE)

Na sequência da jogada, o jogador do Criciúma toca para trás. Nessa hora, a primeira linha defensiva (Léo Sena, Anderson Salles, Alex Alves e Jefferson) deveria subir para empurrar os volantes para exercer pressão no portador da bola e deixar os jogadores mais adiantados em impedimento. Essa movimentação requer treinamentos e um líder para acionar – normalmente é um dos zagueiros ou o goleiro (Reprodução: PREMIERE)

 

Chinem VII

Sem nenhuma pressão no portador da bola, Douglas Moreira faz o “facão” e aparece na cara do goleiro Ivan (Reprodução: PREMIERE)

 

Já o gol do Goiás poderia ter nascido mais cedo em outras oportunidades – de escanteio mesmo. O time catarinense colocava apenas seis defensores (além do goleiro) no seu escanteio defensivo e o Verdão pouco explorou.

Foram cinco escanteios a favor do time esmeraldino na partida inteira e, no último, quando fez algo um pouco diferente, surgiu o golaço do Rossi. A cobrança foi curta e o camisa 7 saiu da posição de rebote e foi caminhando para a área sem chamar a atenção. A bola sobrou para ele que encobriu (por querer ou sem querer?) todo o time do Criciúma e empatou o jogo.

No único escanteio batido de forma diferente, surgiu o golaço do Rossi (Reprodução: PREMIERE)

No único escanteio batido de forma diferente, surgiu o golaço do Rossi (Reprodução: PREMIERE)

Nos quatro primeiros escanteios para o Goiás, o Criciúma colocou seis defensores (além do goleiro). O Goiás não explorou essa situação (Reprodução: PREMIERE)

Nos quatro primeiros escanteios para o Goiás, o Criciúma colocou seis defensores (além do goleiro). O Goiás não explorou essa situação (Reprodução: PREMIERE)

 

De acordo com o portal Chance de Gol, com 63 pontos a probabilidade de acesso para a Série A é de 80%. O Goiás precisa, portanto, vencer os nove jogos que fará em Goiânia (contando com Vila e Atlético) e conquistar outras três vitórias das sete que fará fora de casa. Isto é, ter um aproveitamento de 75% daqui pra frente. Matematicamente é possível. Futebolisticamente é?

Rodolpho Chinem

 

 

 

Tags:,

Nenhum Comentário Quero comentar!

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário