Ladêêêêêêêêêêira….!!! 5 junho 2016 ladeira

O fundo do poço se aproxima.

Seis jogos disputados, dezoito pontos em jogo, apenas cinco obtidos. Aproveitamento pífio de 27%. O líder, Vasco, já tem dezesseis e o primeiro da zona da degola – o Vila –  tem quatro. Quem diria!? Os esmeraldinos que sonhavam estar perto do V de Vasco, estão próximos ao V de Vila Nova.

Não… o problema não é a derrota para o Vasco em São Januário, no Rio de Janeiro. Este tropeço já estava nas contas antes mesmo do torneio se iniciar. O problema são os péssimos resultados obtidos em Itumbiara, contra times nanicos e as duas derrotas para Criciúma e Ceará, duas agremiações do mesmo tamanho do Goiás.

São muitos pontos perdidos para um time que entrou no campeonato como favorito para figurar no G4 na maioria das rodadas.

Após o jogo contra o Gigante da Colina, o treinador esmeraldino refletiu: “Foi totalmente diferente, foi um time que jogou de igual para igual com o Vasco. Uma postura diferente. Foi uma boa atuação e tenho esperança que a gente possa, a partir de agora, fazer aquilo que a gente tem condição de fazer no campeonato”.

Eu tentei ver isso também, viu, Enderson!? Mas confesso que não consegui. Evolução?!? Acho que assisti outro jogo… “Népuçivi”!!

doidimSem tempo para respirar, lamentar ou mesmo se organizar, terça-feira tem o Bahia na volta ao Serra Dourada. O tricolor de aço é “só” o terceiro na tábua classificatória. Resumo da ópera: vem aí mais uma carne de pescoço e a chance de entrar – de vez – na zona vermelha é real. O torcedor esmeraldino está atônito e quando é provocado a falar sobre o time, o faz à maneira do famoso “doidinho” da foto ao lado. “…Tava ruim também, não tava muito bom, tava ruim, agora parece que piorô…! Clique aqui e assista.

Enderson Moreira colocou o cargo à disposição da diretoria antes do confronto contra o Vasco, ou seja, ele tem consciência que seu trabalho deixa a desejar. O quê seria “colocar o cargo à disposição”!? É mais ou menos assim: “…olha, a coisa tá feia, o trabalho não surte efeitos e os atletas não obedecem meus comandos, contudo não posso pedir demissão porque a multa é alta… Então, se você patrão, quiser fazer um acordo, vamos negociar a multa e eu caio na capuêra…”. No presente caso, o empregador Goiás, na contramão do que preceituam os manuais de sobrevivência das empresas comerciais respondeu: “…Não é o caso. Fica de boa. Não aceito você sair e não estou disposto a pagar nem a totalidade e nem tampouco a proporcionalidade dessa multa. Você fica! Vou dar um jeito de tirar da sua equipe aqueles que não querem o seu comando e vou trazer outros funcionários para fazer os serviços dos eventuais demitidos…”

Tudo muito bonito, tudo muito legal… se não houvesse um Vasco no sábado e um Bahia na terça-feira.

A estratégia, a forma de condução – desse comércio que visa lucros, chamado futebol – que a diretoria do Goiás adotou é totalmente descabida. Não há tempo para ficar nesse mexe-mexe. Esse planejamento deveria ter sido realizado ANTES do campeonato e não com ele andamento. É um jogo em cima do outro. E pior: só adversários complicados.

Quem está certo!? Jogadores que não suportam a arrogância e prepotência do Enderson Moreira e fazem o típico “corpo mole”!? O próprio técnico que não tem o time nas mãos e não consegue fazê-lo jogar em alto nível!? A diretoria que não entendeu o recado dos atletas e teimosamente manteve o treinador!?

Particularmente penso que todos estão errados. A diretoria, na pessoa do presidente Sergio Rassi, é incompetente, ingênua, imatura e virgem demais para o prostíbulo que é o futebol; O Enderson que se intitula técnico de futebol, entretanto, não consegue fazer os atletas executar suas ordens em campo. Além disso, sua inequívoca petulância que também incomoda de uma forma geral; E por fim, os atletas que se intitulam profissionais de futebol, mas que deveriam ser rebaixados à condição de amadores. Inobstante a isso, prejudicam suas próprias carreiras, uma vez que o fracasso do time verde atinge diretamente sua evolução na profissão.

O Goiás Esporte Clube hoje necessita de novos atletas, nova comissão técnica – inclusive um preparador físico competente – e também um novo presidente. Além, é claro, de ficar livre das sombras nocivas e insanas de Hailé e Edminho.

Tudo está errado. A agremiação esmeraldina desce a ladeira em velocidade assustadora. É necessário um choque de gestão. Urgente.

Isso é tudo, por hoje, Família Esmeraldina! Até domingo que vem…!!

Juninho Bill

(Fotos: reprodução youtube)

Tags:, , , , , ,

5 Comentários Quero comentar!

  • Definitivamente estamos no c…do Zé Esteves e sem perspectivas de melhoras o que é pior de tudo.

    Comentário by Manoel Fernandes — 5 de junho de 2016 @ 15:03

  • Alô cumpádi Manélão, parece que piorô!!

    Comentário by Juninho BILL — 5 de junho de 2016 @ 15:07

  • O Goiás precisa urgentemente de uma revolução! Uma revolução profissional! A mesma que esperávamos com a reeleição do Rassi.

    O Goiás precisa de um presidente focado 100% no clube (e que seja remunerado por isso). Não que o Rassi não tenha competência para tal. Mas ele, como sabemos, também exerce a profissão de médico. Como cobraremos uma profissionalização dos departamentos de futebol se o cargo executivo mais alto não é ocupado por um profissional? Em tempo: o Rassi corre sérios riscos de ficar marcado como o pior presidente da história do Goiás, mas ainda é o único da alta cúpula que visa a profissionalização. Pelo menos da boca para fora.

    Precisamos URGENTE de um vice de futebol. A sacada de colocarem uma pessoa ligada ao marketing e outra como aspirante a ser o próximo presidente executivo foi boa. Mas precisamos de um terceiro ligado diretamente ao futebol, que entenda de futebol e tenha experiência na área. Nem que seja mudado o estatuto para que tenha 3 vices.

    Precisamos de um gestor e gerente de futebol competente. Ximenes, além de ser incompetente, está acumulando os dois cargos. A tal sonhada profissionalização caminhou a passos de tartaruga nesse primeiro semestre e agora está parada! Fora o nível das contratações. E pior: os nomes especulados são de jogadores para Série C.

    Precisamos de uma equipe de análise de desempenho. Tanto para captar possíveis reforços para o clube, quanto para fazer a análise do próprio time nos jogos e nos treinos. O Goiás hoje conta apenas com 1 analista, enquanto os demais clubes da Série A tem de 5 a 10 pessoas que trabalham nesse tipo de departamento.

    Precisamos de um técnico verdade. A metodologia do Enderson está ultrapassada. Tivemos o maior desastre da história do futebol brasileiro na Copa de 2014 com os 7 a 1. Pra tomar uma goleada dessa em casa, qualquer argumento é motivo. Inclusive a mentalidade e modelo de jogo nosso. É nesse contexto que o Enderson está inserido. Viveu o seu auge em 2012/2013 e não acompanhou as mudanças que vem acontecendo após 2014. Tenho informações de que em uma das funções ele está executando de forma tão pífia que chega a ser comparado a Artur Neto.

    E agora o problema das contusões. Seria do DM ou da preparação física? Ou dos dois? O presidente executivo e um dos vices são médicos. Eles precisam resolver esse problema, doa a quem doer. Precisam dar uma satisfação.

    Por fim, copio e colo uma frase do seu texto: “Além, é claro, de ficar livre das sombras nocivas e insanas de Hailé e Edminho”.

    Estamos voltando para o mesmo assunto do começo do ano. Sinal de que não evoluímos fora de campo. E não adianta só demitir o Ximenes e/ou o Enderson se o sistema não mudar.

    Comentário by Rodolpho Chinem — 5 de junho de 2016 @ 15:55

  • Juninho, só me pergunto até onde isso vai parar ?! Sempre achei os dirigentes Esmeraldinos incompetentes amadores e sem capacidade para dirigir um clube do tamanho do Goiás!

    Mas o que este trio Sergio Rassi, HP e Ediminho estão fazendo é um absurdo!

    Ó trabalho do Endeson infelizmente não deu certo como o da primeira passagem. Agora eles precisam tomar atitude e fazer a trocar do comando do time , simples assim!

    Agora o que me preocupa é : KD O DINHEIRO DO GOIÁS?! Não é possível que com um orçamento como o Goiás tem este ano, a diretoria tem buscado reforços na sua maioria na série C !

    ESTRANHO , MUITO ESTRANHO ISSO, tem algo esquisito acontecendo dentro da diretoria do Goiás !

    Comentário by Ary — 5 de junho de 2016 @ 19:56

  • Novos atletas, é verdade, precisamos deles. E aquilo que venho falando, vai se confirmando. Ou seja, Hj o Goiás conta com quase 35 atletas. Existe uma grande possibilidade do verdão ter seu elenco inchado já no primeiro semestre desse ano. Não fizeram o planejamento para alcançar o acesso já em 2016. Aliás fizeram planejamento sim, planejaram não subir esse, pois como disse Ediminho Pinheiro, um dos maiores se não o maior CANCER ESMERALDINO; “O Goiás precisa estar na série A em 2019.” Em um primeiro momento não dei muita importância, mas com a sequencia dos jogos, ganhando um título regional a duras penas e hj estando na 15ª colocação da Bzona, entendi o recado do EDIMINHO, o maior ALGOZ DO TORCEDOR ESMERALDINO.

    Comentário by cicero jr — 6 de junho de 2016 @ 14:34

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário