Kleina inicia com o pé direito. Goiás 2×0 Ceará. 12 setembro 2016 WaltãoII

Com menos de uma semana para treinamentos e precisando vencer para não terminar a 24ª rodada na zona de rebaixamento da Série B, Gilson Kleina optou por iniciar a partida contra o Ceará no Serra Dourada com Léo Sena, Rossi, Walter e Marcão. Daniel Carvalho e Léo Lima ficaram no banco de reservas.

Mais do que escalar o time, o novo comandante esmeraldino começou a implantar o seu modelo de jogo: amplitude com os laterais na fase ofensiva, transições ofensivas com a saída de 3, marcação por zona na fase defensiva com resquícios de encaixes individuais oriundos do trabalho do treinador anterior e marcação mista na bola parada defensiva.

Duas linhas de quatro foram facilmente flagradas sem a bola. A primeira com Ednei, Felipe Macedo, Alex Alves e Juninho e a segunda com Rossi, Adriano, Patrick e Léo Sena. Walter e Marcão também incomodavam os adversários.

Goiás com duas linhas de quatro (Reprodução: SPORTV

Goiás com duas linhas de quatro (Reprodução: SPORTV

A herança do trabalho de Léo Condé atrapalhou em alguns momentos em que os laterais Ednei e Juninho e o ponta Rossi marcavam individualmente alguns jogadores do time cearense. Mas já dá para perceber um sistema defensivo muito mais organizado e seguro. Nos chutões do Vozão, o time esmeraldino ganhou praticamente todas as primeiras bolas, principalmente com Felipe Macedo. Dobras de marcação também foram constantes. O goleiro Márcio, que fazia a sua estreia em jogo oficial com a camisa do Verdão, foi pouco exigido.

Sistema defensivo esmeraldino com dobras de marcação no portador da bola e superioridade numérica dentro da própria área (Reprodução: SPORTV

Sistema defensivo esmeraldino com dobras de marcação no portador da bola e superioridade numérica dentro da própria área (Reprodução: SPORTV

“Sanduíche” com Léo Sena e Juninho e linha de passe fechada por Patrick (Reprodução: SPORTV).

“Sanduíche” com Léo Sena e Juninho e linha de passe fechada por Patrick (Reprodução: SPORTV).

 

 

Na bola parada defensiva veio a maior evolução: o Goiás ganhou todas as bolas aéreas. No primeiro escanteio do clube nordestino a pelota sequer chegou a entrar na área esmeraldina após a cobrança curta. Situação que foi exaustivamente trabalhada na última sessão de treinos.

Marcação mista no escanteio defensivo: os onze jogadores do Goiás participam ativamente com a cobrança curta (Reprodução: SPORTV).

Marcação mista no escanteio defensivo: os onze jogadores do Goiás participam ativamente com a cobrança curta (Reprodução: SPORTV).

 

No escanteio defensivo, a marcação do Goiás passou a ser mista. Walter e Juninho eram os responsáveis pelos encaixes individuais para diminuir a velocidade do oponente. Léo Sena fazia a pressão no portador da bola no caso da cobrança curta ou ficava na posição do rebote na cobrança direta. Os demais marcavam por zona.

Xina 5

Escanteio defensivo com os onze jogadores participando ativamente também na cobrança direta (Reprodução: SPORTV).

 

O início da fase ofensiva começava na saída de 3 ou Lavolpiana (em referência ao treinador Ricardo La Volpe). Adriano voltava na linha de Felipe Macedo e Alex Alves para qualificar a saída de bola e liberar os laterais Ednei e Juninho para criar amplitude no campo de ataque.

Ednei e Juninho no campo de ataque criando amplitude para abrir espaços na defesa cearense (Reprodução: SPORTV).

Ednei e Juninho no campo de ataque criando amplitude para abrir espaços na defesa cearense (Reprodução: SPORTV).

Saída de 3: volante Adriano afunda na linha dos zagueiros para qualificar a saída e liberar os laterais Ednei e Juninho (Reprodução: SPORTV).

Saída de 3: volante Adriano afunda na linha dos zagueiros para qualificar a saída e liberar os laterais Ednei e Juninho (Reprodução: SPORTV).

 

Para sacramentar a vitória e o bom jogo do Verdão, veio o gol de Léo Gamalho. Mas a jogada que originou o cruzamento é que chamou a atenção: triangulações entre Juninho, Ednei e Patrick:

Triangulação entre Juninho, Ednei e Patrick originou o cruzamento para o segundo gol do Goiás (Reprodução: SPORTV).

Triangulação entre Juninho, Ednei e Patrick originou o cruzamento para o segundo gol do Goiás (Reprodução: SPORTV).

Após escanteio se afastado pelo time cearense, Juninho fica com a bola e tem o apoio de Ednei e Patrick (Reprodução: SPORTV)
Após escanteio se afastado pelo time cearense, Juninho fica com a bola e tem o apoio de Ednei e Patrick (Reprodução: SPORTV)

 

O início de um trabalho tem oscilações. Gilson Kleina não é mágico, é treinador de futebol. Agora é preciso ter tempo para concretizar os princípios já inseridos, acrescentar novos conceitos e consolidar um modelo de jogo.

Rodolpho Chinem

Tags:, , ,

Nenhum Comentário Quero comentar!

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário