Infelizmente, não dá mais tempo…! 4 setembro 2016 gilson-kleina5

Após a derrota para o Brasil de Pelotas no Rio Grande do Sul por 2×1, o último fio de esperança se rompeu. Nem o Waltão da Bulaxa conseguiu ajudar o periquito depenado. É possível que nem as “alices” acreditam mais no praticamente impossível e longínquo G4. Na verdade era apenas uma quimera, uma ilusão, um sonho distante…

E quem não lembra do fatídico empate com o mesmo Brasil de Pelotas no primeiro turno, em Itumbiara?!? O resumo da partida, segundo a crônica esportiva, foi: “…Enquanto os gaúchos abriram o placar e tiveram um pênalti perdido na primeira etapa, os goianos foram para cima, empataram e poderiam ter virado na segunda. Pelo “conjunto da obra”, a igualdade foi o resultado mais justo da noite em Goiás…”

Ahhhhh, é melhor esquecer isso.

Resumindo: 16ª colocação – o porteiro da zona – 27 pontos obtidos dos 69 disputados em 23 jogos, maior numero de empates (09) e derrotas (08) do quê de vitórias (06), saldo de gols negativo (-3) e por fim, 39,1% de aproveitamento.

O quarto lugar do G4 – de acordo com os torneios anteriores – costuma ter pontuação entre 62 e 65 pontos. Assim sendo, o Goiás precisaria ganhar “só” 38 pontos dos 45 que ainda estão em disputa. Facinho, né? Moleza para o ex-maior do centro-oeste…!!

Tá bom ou já estão satisfeitos?!?

Mas tem mais… muito mais. O principiante – Léo Condé(nado) a treinar times pequenos – foi demitido após a derrota para a agremiação Xavante. Foi um erro ter demitido o rapaz?!? Claro que não… o erro foi ter contratado ele!! Porém, o mais intrigante – repetido exaustivamente pelos colunistas desse site e também de outros, como Rodolpho Chinem, Elder Dias e o próprio cronista que vos fala – é que o Léo Condé deveria ter sido demitido antes do recesso de 21 das olimpíadas do Rio 2016. O novo técnico teria tempo para treinar o time nesse período, escolher as melhores peças e o melhor esquema de jogo.

Mas o Goiás insistiu no erro, foi até a última possibilidade, que todos sabiam, seria inócua. Léo Condé não tinha o time nas mãos, não conseguiu um implantar um sistema de jogo, e estava na cara – às escâncaras – que não daria certo. Só a diretoria não viu.

Lenta, atrasada e retrógrada, a diretoria do time esmeraldino demorou demais para agir. Esperou o incêndio assumir proporções drásticas para só depois “pensar” em ligar para a os bombeiros… Plagiando o ex-presida FHC, “assim não pode, assim não dá”. Os “bombeiros” tem que ser acionados na primeira ou, no máximo, na segunda fagulha. Depois que está tudo destruído não adianta mais… deixa queimar essa m…!!

FucksO certo é que agora – depois que o bovino do sexo feminino seguiu para o terreno pantanoso – a diretoria corre atrás de um treinador que, pelo menos tenha um nome de respeito. O repórter setorista do Goiás, André Rodrigues, noticiou ontem a “quase” contratação de Gilson Kleina, praticamente uma requisição de boa parte dos conselheiros do clube. Um pouco mais tarde, quase à meia-noite, o mesmo repórter – através de uma rede social – informou que a negociação frustrou-se e que o alvo agora seria o gaúcho Argel Fucks, demitido do Figueirense no último dia 21 de agosto, após a derrota para o Cruzeiro, pela Série A do campeonato brasileiro.

Hoje de manhã, o mesmo repórter trouxe a notícia que durante a madrugada, a negociação encaminhou e o clube verde fechou mesmo com o Kleina.

Ora, é difícil de entender?!? claro que não, amigos leitores!! O Kleina pediu X. O Goiás disse não ser possível. Foi, inocentemente, atrás do Fucks que estava treinando um time de série A e que logicamente pediu X+100%. O Goiás voltou lá, com o rabo no meio das pernas, e decidiu pagar os valores que o Kleina havia pedido.

Simples assim. O mercado é desse jeito. O Goiás que se adapte a ele e não ele ao Goiás.

Givanildo Mao na picaParticularmente, preferia o Givanildo, o rei do acesso. Ele seria capaz de colocar esses “boleiros” que estão no Goiás para jogar – e também seria capaz de montar esquemas táticos, além de se integrar e se encaixar no projeto 2017 – se é que a agremiação esmeraldina tem um…

Mas agora já foi… Givanildo “coça-saco” fica para a próxima vez!

Por fim, vamos dar uma sofridinha nesse “restim de ano”, não é, pessoal?!? Faltam “apenas” 19 pontos para nos livrarmos do rebaixamento, que geralmente beira a linha de corte de 46.

Opa, ah sim…!! agora sim…!!! 19 está bem mais fácil que 38, Graza’Deus!!!

Isso é tudo, por hoje, Família Esmeraldina! Até a próxima…!!

Juninho BILL

Tags:, , , , , ,

5 Comentários Quero comentar!

  • Bom dia Juninho!

    Otimo texto ! Quase nada a acrescentar!

    Gostaria só de ressaltar o que vc disse ás ALICES DE PLANTÃO !

    Pessoal tem que parar com esta história de acesso em 2016. Não tem a mínima condição disso acontecer. Vamos lutar até o fim para não sermos rebaixados, que para mim já será uma vitória muito grande após o tanto de besteira que esta diretoria fez.

    Tomara que dê certo o trabalho do Kleina! Que se inicie desde já o planejamento para 2017. Não vejo a hora de chegar o fim do ano e jogadores como Sueliton, Cassiano, Cléo, Anderson Alves, Daniel Carvalho, Higor Leite, Juninho irem embora!

    Ary Jr

    Comentário by Ary Junior — 4 de setembro de 2016 @ 15:13

  • Gilson Kleina me lembra dois placares:
    Goiás 6 x 1 Vila Nova
    Goiás 6 x 0 Palmeiras
    Aguardemos e oremos porque em pleno mês de Setembro o Goiás ainda está nessa bagunça de treineiro!!! Hajaaa coração como diz o Galvão.

    Comentário by Manoel Fernandes — 4 de setembro de 2016 @ 15:21

  • Manoel,

    A goleada sofrida pelo Palmeiras, o técnico era o Dorival Júnior.

    Não é possível que o Gilson seja pior que o Condé em termos de treinamentos e táticas.

    Comentário by Felipe — 4 de setembro de 2016 @ 17:50

  • Topissimo seu texto . parabéns barão do toca…
    Nos resta esperar pra ver se agora Raí ,a permanência na série b,pq a tão sonhada seria A já se foi….kkkkkkk

    Comentário by Lud — 5 de setembro de 2016 @ 1:30

  • Planejamento ???? Essa rara palavra passa longe da serrinha há tempos, bota ai mais profissionalismo, inteligência, ânsia de vencer e não só participar,destreza, coragem, falta muito ainda pra esses caras ai serem considerados dirigentes de futebol que preste.

    Bom feriado a todos

    Comentário by CESAR PETRI — 6 de setembro de 2016 @ 17:02

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário