Imprudência, empáfia, soberba e prepotência… Esse é o Goiás! 24 abril 2016 angry

Olá queridos amigos Esmeraldinos!

Hoje é dia de decisão – a semifinal do campeonato goiano com o arqui-rival Vila Nova. Queria muito que a coluna dominical fosse direcionada apenas a este tema, todavia, infelizmente abordaremos um outro assunto, um tanto quanto preocupante.

A empresa denominada Goiás Esporte Clube, CNPJ nº 01.665.256/0001-80, tem alardeado aos quatro ventos e posteriormente concretizado várias transferências de atletas e com isso, angariado alguns milhões. Ora se fala em investimentos para série B,  ora em construção da arena serrinha, etc etc etc…

A bem da verdade, o certo é que infelizmente, nem todo esse montante – principalmente aquele relativo aos 60% do valor obtido com a negociação do atleta Erik, R$ 13 milhões de reais – não pertencem, na íntegra, ao clube verde do nosso coração.

Explico: nos idos anos de 2006, o Goiás firmou contrato de parceria com a LUPPI Participações e Investimentos LTDA, que teria vigência de Fevereiro de 2006 a Janeiro 2011. Divulgaremos tão somente a primeira página do contrato apenas para provar a existência do mesmo e preservar o “sigilo” das cláusulas:

Contrato Base

Durante estes cinco anos, a empresa repassou mensal e regiamente ao clube de futebol a quantia de R$ 80 mil reais, totalizando aproximadamente R$ 5 milhões de reais. O objeto do contrato?!? custear parte das despesas dos atletas das categorias de base do Goiás, visando lucrar 50% do valor das negociações que ocorressem no futuro. Assim sendo, todos os jogadores que foram formados pela agremiação futebolística naquele período, qual seja, FEV/2006 a JAN/2011, caso fossem negociados, renderiam metade do montante à empresa parceira LUPPI, de acordo com a Cláusula Terceira, que trata dos Direitos do Parceiro.

Advinhem, caros esmeraldinos, o quê aconteceu?!?

Fácil, não é mesmo? O Goiás, propositalmente, se esqueceu de cumprir sua parte no acordo. Exceto os contratos relativos a Thiago Mendes e Rafael Tolói, que o São Paulo assumiu o ônus junto a LUPPI, as demais transações o clube verde não deu quaisquer satisfações para a empresa parceira.

Evidentemente – na busca dos seus direitos usurpados – a LUPPI Participações notificou extrajudicialmente o GOIÁS Esporte Clube em 13/01/2016 solicitando que o mesmo apresentasse as planilhas dos jogadores formados na sua base no referido período, bem como as negociações ocorridas. Diante da inércia do clube esmeraldino, a empresa interpôs em 01/02/2016 uma Ação de Prestação de Contas que foi distribuída à 6ª Vara Cível da Comarca de Goiânia-GO, sob o nº34361-05.2016.8.09.0051.

ação Goiás

Pois bem. O resumo da ópera é que a LUPPI pleiteia receber a parte que tem direito, em virtude dos investimentos outrora realizados, sem prejuízos de estender a cobrança a outras negociações, relativas aos seguintes atletas:

Lateral direito Douglas Pereira dos Santos cedido ao São Paulo e posteriormente ao Barcelona/ESP, em valores a serem apurados;

Zagueiro Pedro Henrique Pereira da Silva cedido ao Cianorte/PR, por R$ 900 mil reais;

Atacante Erik Nascimento Lima, cedido parcialmente (60%) à Sociedade Esportiva Palmeiras por R$ 13 milhões de reais.

Questão: qual a chance da LUPPI ter seu pedido julgado procedente?!?

Diríamos que aproxima-se de 100%.

Isso mostra o quanto nosso clube ainda é amador, gerido como se fosse um brinquedinho da família Pinheiro.

É, simplesmente, lamentável.

#xatiadus!

*******************************************

Quanto ao clássico de hoje à tarde no Serra Dourada contra o Vila Nova…

Querem saber?!? Perdi o Tesão!!

Esse “titulozinho” de campeão goiano é muito mais importante para os torcedores do time colorado do quê para os fanáticos pelo Goiás. E depois do amadorismo acima narrado, das notícias “quentes” dos bastidores do clube acerca da má influência de jogadores baladeiros, desestímulo e falta de vontade dos atletas, além de um possível racha entre a comissão técnica e o diretor de futebol, francamente, me sinto sem qualquer vontade de torcer para que esse time tenha sucesso.

Ainda torço pelo escudo, pela instituição, pela agremiação, contudo, o time atual é pífio e a diretoria segue os mesmos passos. Me desculpem a franqueza e a falta de vontade de fazer quaisquer outras resenhas sobre tudo isso!

Isso é tudo, por hoje, Família Esmeraldina! Até domingo que vem…!!

Juninho Bill

Tags:, , , ,

7 Comentários Quero comentar!

  • Fala Bill, triste demais de ver como as coisas acontecem no nosso verde. Agora além dos Pinheiros que tem a responsabilidade de colocar e tirar os Presidentes e Diretores e eleger o Conselho, esta herança deve também ser atribuída ao ex-presidente Raimundo Queiroz, que assinou esta parceria, correto? Se realmente for isso, temos que dar a César o que é de César, pois muitos vangloriam o Raimundo (falando de resultados de campo eu tb). A pergunta que fica é: Que dia o Goiás será realmente grande deixando de ser um hobby nas mãos de seus Dirigentes?
    Daniel Dias – Pardalino

    Comentário by Daniel Dias Ferreira — 24 de abril de 2016 @ 13:23

  • Caro Daniel Pardalino!

    O Raimundo fez o contrato. O Goiás usufruiu dele durante 5 anos. Recebeu 80 conto por mês e teve a interveniência do HP como vc pode ver na primeira imagem.
    O Goiás gastou a grana que recebeu da LUPPI mas se esqueceu de passar o percentual devido a ela quando negociou jogadores.
    Não houve prejuízos com o contrato. O Goiás sustentou a base com essa grana!
    Quem levou um tombo lascado foi a LUPPI que agora quer ver – com todo direito – a cor da grana!

    Comentário by Juninho BILL — 24 de abril de 2016 @ 13:33

  • Coluna imperdível e é com muita tristeza que mostramos o quão essa diretoria do Goiás é PODRE. Sobre o clássico, bem, que venha a série B

    Juninho ßilll, como acertastes mais uma vez em suas palavras nessa sua coluna Dominical. Lá no Goiás impera uma única coisa, enganar, mentir, passar para tras, desmerecer pessoas e empresas. Os seus dirigentes deveriam ser PRESOS. Eles, diretoria tem esse hábito de deixar de pagar pessoas e empresas e deixam ir para a justiça pelo bel prazer de bater no peito e dizer, do Goiás não se leva nada fácil. O pessoal do verdão, leia-se diretoria já havia feito isso no caso do emprestimo financeiro junto a empresa do Padilha, na gestão Raimundo Queiroz. Eles sabem que a dividia existe, que o dinheiro entrou nos cofres, mas para “fuder” com o nome do Raimundo preferiram ir às raias da justiça com o único objetio de DENEGRIR AS PESSOAS.

    Sobre o clássico de hoje; vou ser objetivo. Que venha a série B, pois para o ruralzao já era. Parabéns Sérgi Rassi, Parabéns HP, Parabéns Ediminho Pinheiro e parabéns aos SUPERINTENDENTES COME E DORME AÍ DO GOIÁS.

    Comentário by CICERO JUNIOR — 24 de abril de 2016 @ 13:36

  • Rapaz coluna tensa viu ,mais enfim é a realidade …..lamentável essas coisas que acontece no Verdão viu…em relação ao clássico vai ser realmente complicado ,mais como todavia acredito numa vitória ….

    Comentário by Ludmilla — 24 de abril de 2016 @ 14:00

  • Lamentavel o que acontece nyo goiás, infelizmente o torcedor esmeraldino sempre sofre com extra campo, quando goias meu time querido que vai começar a levar futebol nao só como negocio, eu como esmeraldino to cansado desse sobe e desce no nacional, goias nao é novo, ja ta com 73anos …. passou da hora de levar ofutebol mais a serio, com vontade e nao so como negocio.

    Comentário by Juninho Paranaiguara — 24 de abril de 2016 @ 15:23

  • Amigos, eu disse antes que o Goias nao tem dinheiro algum, e se tiver, pertence a terceiros. Lastimavel!

    Comentário by Tony Falico — 24 de abril de 2016 @ 23:02

  • Muito bom!

    Comentário by Antonio — 4 de julho de 2016 @ 23:37

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário