Hora de sonhar. 7 abril 2016 Mascarado

Mais um ano chegamos na Copa do Brasil, que dizem ser a competição mais ‘democrática’ do Brasil. Mais uma vez nós torcedores chegamos com a esperança de levantar um troféu realmente importante. E não somente o Goiano ou Serie B, e nem o ‘quase’ de outras competições.

A esperança passa pelos pés de todos os contratados em 2016, começando pelo Enderson Moreira. O treinador, que retornou ao clube após duas temporadas fora, tem bom histórico nesta competição pelo alviverde e conhece o caminho das pedras para ir mais longe. Pelo clube, Enderson conseguiu a 6ª colocação em 2012 e a 3ª no ano seguinte. Para ele, o Goiás é uma equipe que se familiariza com a Copa do Brasil.

De fato, Enderson veio com a incumbência de reestruturar o Goiás no ano de 2016. Função que pode colocar todo seu trabalho em risco se os resultados não forem satisfatórios. A primeira dessas conquistas no ano de 2016, seria o progresso na Copa do Brasil 2016. Levando em consideração que não existe nenhum time excepcional e brilhante no Brasil hoje, temos sim a obrigação de chegar nas fases finais dessa competição, já que em 2016 o caixa está razoavelmente cheio.

O primeiro desafio dessa batalha será contra o River/PI que se equivale aos nossos rivais do Goianão. Porém, não é – e nunca foi – um time ‘morto’. Devemos fazer o resultado acontecer no Albertão, eliminando o jogo de volta ou trazendo, pelo menos um empate para Goiânia, já que muitas vezes, somos surpreendidos com times fortes e aguerridos contra o Goiás. Para muitos desses times, jogar contra o Esmeraldino significa uma das maiores oportunidades da vida.

A equipe irá basicamente com força ‘máxima’, somente DC-10 estará fora ainda se recondicionando fisicamente. Acredito que vamos fazer uma estreia tranquila, pois o time que temos hoje é diferente do plantel montado por Harlei em 2015, o quê nos leva acreditar que podemos ser mais fortes do que o combalido Goiás de 2015, começando pela garra e raça que todos tem mostrado dentro do campo. Os garotos da base, principalmente, que surgem no cenário do futebol: Jhonathan, Felipe Macedo, Carlos Eduardo, Thalles… Com esta base composta de jogadores experientes, mas com outros ainda muito jovens, o Goiás inicia hoje a sua trajetória no Piauí. Atletas e comissão técnica evitam falar sobre eliminar jogo da volta – ocorre isso em caso de vitória por dois gols de vantagem atuando for a de casa.

Por fim, O atacante Rafhael Lucas volta à formação titular no lugar do jovem Thales, com isso, o Esmeraldino voltará a jogar com três atacantes. O provável Goiás para encarar o River é: Renan; Jonhathan, Felipe Macedo, Anderson Salles e Juninho; Patrick, Ramires e Wagner; Carlos Eduardo, Rafhael Lucas e Cléo.

Seremos mais uma vez os últimos a perder a esperança, enquanto o jogo não acabar.

Temos esperança do Titulo!

Paulo César

(Foto: Jornal O Popular)

Tags:,

Nenhum Comentário Quero comentar!

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário