GOIÁS 1×1 GRÊMIO 2 junho 2015

Pode acreditar: Rodrigo e Péricles estão sobrecarregados.

 

Não, o blogueiro não está defendendo mais um volante no time dos volantes. Mas é preciso que Felipe Menezes e Erik sejam os primeiros a dar o bote. Ou então que um deles volte para formar a segunda linha de quatro. Coincidência ou não, a pior partida do Goiás sob o comando do Hélio dos Anjos foi na derrota por 2×0 para o Ituano e foi escrito que Bruno Henrique não recompôs a segunda linha de marcação (http://goiasatemorrer.blogspot.com.br/2015/05/ituano-2×0-goias.html).

 

Com a bola, jogadas coletivas não foram construídas no primeiro tempo. Faltou apoio para Patrick ou Rafael Foster no setor esquerdo. Ora um ora o outro subia para o ataque. Nunca os dois ao mesmo tempo.

 

E para piorar, os meias do Grêmio exploraram com total liberdade os espaços nas costas dos volantes Rodrigo e Péricles – consequências de um time mal compactado.

 

Espaço vazio entre os zagueiros e os volantes do Goiás – situação vista várias vezes no primeiro tempo.

 

Hélio dos Anjos mexeu no intervalo e mostrou que o Goiás pode fazer melhor: o time esmeraldino sofreu um choque de modernidade. Nada que chegue aos pés do Futebol Total. Mas se o modelo de jogo é defender, defender e defender, que defenda com inteligência. Se é para atacar, que ataque com eficiência. Que todos ajudem na marcação, assim como todos ajudem nas construções das jogadas.

 

Temos jogadores para defender ou atacar melhor. O volante Rodrigo é o maior exemplo disso: qual lance do primeiro tempo ele aparece na área? Apareceu no segundo tempo e marcou o gol de empate. E na construção da jogada, Erik, Felipe Menezes, Robert e Éverton estão próximos um do outro pelo setor direito; Wesley e Rodrigo estão entrando na área para um possível cruzamento; Rafael Forster aparece como opção pelo outro lado do campo para desafogar, se necessário; e Péricles se posiciona para compactar o time esmeraldino.

 

Goiás no ataque em busca do empate – 8 jogadores esmeraldinos aparecem na imagem.

 

Infelizmente o melhor momento do Goiás nesse Brasileirão durou apenas 7 minutos, tempo suficiente para empatar. Se durasse mais, a virada seria questão de tempo. Com a vitória, terminaríamos a rodada na liderança. E mesmo se iniciasse a 5ª rodada como líder, não significa que a equipe não precisa evoluir. Precisa sim. E muito!

3 Comentários Quero comentar!

  • Quem fez esse post, não tem nome de ninguém ?? mas está de parabéns mostra muito bem como o Goiás está bagunçado em campo, se for jogar com 3 volantes que jogue compacto e arme um ferrolho mas não o time com 3 volantes é uma bagunça, já no segundo tempo é o time que o Goiás tem que começar jogando na imagem acima mostra muito bem 8 jogadores atacando o grêmio, mas bola pra frente arrumar isso ae e jogar bem contra o sport……

    Comentário by Felipe_SKR — 3 de junho de 2015 @ 3:15

  • Por um lamentável lapso do Portal Familia Esmeraldina, não ficou circunscrito o nome do colunista.
    Esse texto é de autoria de Rodolfo Chinem.

    Comentário by Juninho BILL — 3 de junho de 2015 @ 22:04

  • Vlw juninho gostei muito da análise poderia mostrar pro retranqueiro, pra ele consertar o time…..

    Comentário by Felipe_SKR — 4 de junho de 2015 @ 3:37

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário