Equívocos grotescos, resultados desastrosos 29 setembro 2014 ricardodrubscky-rib

 

O Goiás Esporte Clube fez dois jogos fora de casa, contra o Botafogo no Maracanã e Santos no Pacaembu. Duas derrotas. Era possível obter dois empates e trazer dois pontos para Goiânia. Trouxe zero.

 

Pode colocar na conta do Senhor Ricardo Drubscky.

 

Sim, caros esmeraldinos, o treinador que houvera sido acometido por uma virose e não comandou a equipe na esplêndida vitória contra o Palmeiras no Serra Dourada, voltou e errou em ambos os confrontos.

 

Contra o Botafogo, errou muito ao sacar o lateral Moisés, que por mais incrível que possa parecer, estava anulando as jogadas do Emerson Sheik. Substituiu porque o jogador recebeu um cartão amarelo. Ora, mas isso é normal… trata-se de um jogador defensivo, desarma jogadas, é natural receber cartões. Pois bem, ao sacar o lateral de campo, improvisou o volante Tiago Mendes naquela posição e ele, infelizmente, não foi bem. Além de fazer um pênalty, que milagrosamente Renan defendeu, não acompanhou as jogadas do Botafogo e por ali saiu o gol do time carioca. Nesse momento, o técnico adotou a técnica kamicaze e colocou três atacantes, entretanto, sacou o meia Esquerdinha. Mas, Jesus Cristo, só o senhor é capaz de responder, se o Esquerdinha sair quem vai alimentar esse ataque?? Essa função ficou como atribuição do Ramon… ah, pára, né!?!? Me ajuda aê!!

 

Lamentável.

 

Contra o Santos neste domingo, errou de novo, na escalação. Colocou em campo o inoperante Samuel, que não fez uma jogada sequer durante todo o jogo. Ora, mas é difícil o Senhor Drubscky entender que o meio de campo deve ser composto por dois volantes e mais Esquerdinha e Murilo?? Mas além da errônea escalação do Samuel, fez entrar Bruno Mineiro em seu lugar. Como é que é?? Bruno Mineiro, totalmente fora de ritmo?? Ah, não… mil vezes não!! O jogador que está entrosado com Erik no ataque é o Welington Junior, Sr. Drubscky!! Até eu sei disso…

 

Depois fez entrar Ramon – e uma vez mais, improvisou o Tiago Mendes na lateral – no lugar do lateral Moisés quando quem deveria entrar era o atleta Murilo para compor o meio-campo. O Goiás não cria com Ramon e o ataque, por consequência, morre de fome. Quando fez entrar o Murilo em substituição ao David, já não havia tempo para mais nada. O jogo já estava nos minutos finais.

 

Mexeu mal demais. Foi triste. Digno de comiseração.

 

Para piorar, no jogo contra o Santos houve um erro cabal da arbitragem que mudou a história do jogo. Aos dezoito minutos do segundo tempo, Esquerdinha chutou de fora da área, a bola bateu no travessão e entrou pelo menos, cinquenta centímetros dentro do gol. O tal do auxiliar que fica posicionado ao lado do gol, mais cego que o Ray Charles, não viu a bola entrar. O gol não foi anulado, caros esmeraldinos! Não, ele não foi anulado porque o gol foi concretizado no primeiro lance, no chute… Se houve impedimento no segundo lance – a cabeçada do rebote – que causou a anulação, não havia que se falar em irregularidade, uma vez que a bola já tinha entrado anteriormente!! Uma confusão que acabou punindo, pela via transversa, uma irregularidade inexistente.

 

Esse gol poderia dar uma injeção de ânimo ao Goiás!! Caso fosse validado, haveria com certeza, uma tremenda pressão verde para que o empate acontecesse, na medida em que havia tempo suficiente para isso. Assim sendo, o Goiás foi sim, prejudicado ao extremo, pela arbitragem.

 

Foi um duro golpe. Como se não bastasse a deficiência técnica verde, tão comentada e discutida, ser prejudicado por um sujeito o qual a única função em campo é constatar se a bola entrou ou não no gol, é dantesco.

 

Quarta tem jogo de novo, desta vez pela Copa Sul-Americana no Equador. A equipe defrontará com o Emelec e além do adversário, enfrentará também a altitude. Não vai ser nada fácil. Um empate naquele País será um excelente resultado, afinal o jogo decisivo do mata-mata será no Serra Dourada.

 

Seria muito bom que nesse jogo internacional, a Instituição Goiás Esporte Clube não tivesse que enfrentar também o fogo amigo do Sr. Ricardo Drubscky, com suas escalações erradas e improvisadas… O Goiás já teve sua dose de experimentos de Professor Pardal esse ano, quando contratou o pífio Claudinei Oliveira.

 

Chega de invenções, Drubscky, pelo amor do santo Cristo!!

 

                                                                                                                      Juninho BILL

Tags:, , , ,

Jornalista e Bacharel em Direito

3 Comentários Quero comentar!

  • “O pífio Claudinei Oliveira” eu ri muito kkkkkkkkkkkkk, odeio ele ao extremo!!

    Mas realmente, o Drubsky errou feio nos dois jogos, e pior de tudo é que ele reclama da “irregularidade”, mas ele é primeiro a ser irregular.
    Se reparar no jogo contra o Palmeiras o Goiás atuou no 4-5-1 é só colocar um atacante veloz na meia, ficaria assim Ricardo Drubsky:

    4-5-1

    GOL- Renan
    LD- Moisés
    Zag-Felipe Macedo
    Zag-Jackson
    LE-Leo Veloso
    Vol-Thiago Mendes
    Vol- David
    Vol-Amaral
    MEI-Esquerdinha
    MEI-Welinton Junior
    AT-Erik

    Pronto, é tão dificil assim? E o tal do Danilo que o senhor nunca mais deu uma chance a ele? Ou melhor, tenta um esquema tipo 3-5-2 porque em 2005 várias vezes o Amaral jogou na zaga e avançava pra desarmar no meio de campo, o técnico era o Geninho, e o Goiás tinha firmeza.. Não esqueça do ótimo volante Rodrigo, acorde Drubsky, porque se não der certo no Goiás, vc não dará certo em mais nenhum lugar, tendo em vista sua falta de pulso firme, já que o Enderson Moreira vive ganhando de vc nos confrontos…ACORDA!!

    Comentário by Felipe Faria — 29 de setembro de 2014 @ 3:00

  • E agora falando dos próximos jogos..

    Emelec no Equador, priorizar a Sul Americana? NÃO!! A zona de rebaixamento está mais faminta a cada rodada, e o Goiás só tem 5 pontos de diferença para o 17º colocado. Então era hora de pôr reservas, uma vez que o próximo jogo já é sábado no Serra Dourada!!

    Quanto ao Figueirense, uma equipe perigosa, e que já sabe jogar fora de casa, o Goiás sabia, mas o Drubsky resolveu atuar no 4-4-2, sendo que esse “2″ na prática é só 1 porque o Goiás só tem um atacante em seu elenco, o Érick, portanto, no 4-4-2 o esmeraldino atua com um a menos na prática, porque Samuel, Bruno Mineiro, Assuério.. são todos PÉSSIMOS!!

    Povoar o meio de campo e atacar e defender em bloco como o tão criticado e injustiçado Hélio dos Anjos fazia. E opções para isso vc tem Drubsky.

    Rodrigo, Thiago Mendes, Paulo, Murilo, Amaral, David, Raphael Luz.. Bora se mexer Ricardo!! Paulo pouco foi utilizado e Raphael tbm, acorda!!

    Comentário by Felipe Faria — 29 de setembro de 2014 @ 3:14

  • Esse técnico fica insistindo com esse Samuel e Bruno Mineiro. Pelo amor de Deus Ricardo será que só você não percebe que esses dois não dão conta de nada? Pode mandar os dois embora porque são inoperantes e não dão conta de jogar. É o Erik e o o Wellinton Junior na frente e pronto. Acorda homem senão você vai bater lá no Z4 loginho.

    Comentário by salome machado — 29 de setembro de 2014 @ 21:11

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário