Como deverá ser o Goiás de 2017? 14 outubro 2016 sede Goiás

Desde já agradeço aos meus seguidores no Twitter (@wagnerolivego) que votaram na minha enquete.

Depois de mais um ano turbulento, decepcionante e que entrará para a gaveta de esquecimento do torcedor esmeraldino. A pergunta que não quer calar é: Como será o Goiás de 2017? Bom, pode ser meio cedo pra falar disso ainda. Temos 8 jogos decisivos na sequência do Brasileirão desse ano, mas como o destino do nosso Verde já está praticamente definido, que é a permanência na segunda divisão, é justo juntar os cacos e já pensar na próxima temporada.

Bom, um boato recente chegou nas redes sociais e que começou a me animar para o próximo ano, porém, veio do lado de uma outra que me fez querer até rasgar as camisas do Goiás que eu tenho. Qual o problema nisso? A Família Pinheiro rasgou 73 anos de história que o Goiás tem por vaidades, ciúmes, amadorismo… A notícia que chegou foi a que Sérgio Rassi pode renunciar e não ficar para o próximo ano. Que felicidade, não é mesmo. Era até eu saber que Harlei pode estar voltando para ser o diretor de futebol. Um dos maiores paneleiros da história do clube, depois de jogar o clube na Série B, está voltando. A única frase que me veio na cabeça foi: “Errar é humano. Persistir no erro é burrice”. Não existe outro fator que resume a diretoria do Goiás nesse momento. Eu me sinto muito envergonhado disso.

HP e HareliSe isso for mesmo verdade, a torcida nunca vai voltar ao estádio e o Goiás vai ter de se acostumar em se tornar um clube de Série B como o Ceará, Luverdense e Paraná Clube, ou na pior das hipóteses, um clube de Série C. Nós reclamávamos de boca cheia. Como faz falta um Marcelo Segurado e um João Bosco Luz no Goiás. Pessoas que entendiam de futebol e fizeram um time que dava gosto de ver.

Independente de quem esteja no Goiás ano que vem, a saída de Sérgio Rassi me preocupa em apenas um único fator: o desleixo. Acredito que esse senhor que encheu o Goiás de mentiras, não vai mexer um único pauzinho para deixar um ambiente limpo para o próximo presidente assumir. Era muito necessário que o Goiás renovasse com alguns jogadores e garantisse a permanência dos mesmos para o ano que vem. Fiz uma lista dos jogadores que acho que devem ficar para o ano que vem e os que devem ir embora.

Devem sair: Ivan, Renan, Anderson Salles, Wesley Matos, Felipe Macedo, Arthur, Suelinton, Felipe Saturnino, Patrick, David, William, Jhon Clay, Liniker, Cassiano, Cléo.

Devem ficar: Márcio, Alex Alves, Ednei, Juninho, Adriano, Léo Sena, Léo Lima, Walter, Léo Gamalho, Rossi, Marcão, Carlos Eduardo.

Esses foram os que eu lembrei. Quem fala que devia dispensar todo mundo, não entende de futebol ou quer ver o Goiás se dar mal. É muito importante mantermos uma base para o próximo ano, principalmente do nosso ataque, que é um ponto muito forte. Se conseguirmos manter todos os nossos atacantes, nem precisaríamos contratar mais para esse setor. O problema é que nunca mais ouvi falar sobre a renovação de Rossi, duvido que Walter permaneça e Léo Gamalho, do jeito que está indo, não duvido que chame e atenção de alguém melhor.

Sobre os goleiros, prefiro o Renan do que o Márcio, mas duvido muito que ele fique para o próximo ano. Ivan decepcionou. Não é do nível do Goiás. Manter o Márcio é bem mais provável que aconteça, mas acho que ele deveria ser o reserva. Seria importante contratar um novo goleiro para tentar ser ídolo e assegurar nosso gol novamente. Nas laterais, manteria dois: Juninho por achar que ele atua até bem às vezes. Ednei, porque chegou recentemente e é um ótimo batedor de falta, mas ressalto a extrema necessidade do Goiás contratar pelo menos dois laterais que saibam marcar.

Zagueiros, é dispensar a maioria. Nunca vi uma defesa tão horrorosa como a desse ano. Todos os anos sempre tínhamos um zagueiro que se destacava: Ernando (2013), Jackson (2014), Fred (2015)… Nesse ano? Ninguém. Tanto que a nossa zaga é formada por dois zagueiros que só decepcionaram no ano passado. Só manteria o Alex Alves, e olhe lá. Wesley Matos devia voltar a ser padeiro e levar o Salles junto.

Volantes, só o Adriano. Não temos bons volantes. Não gosto do futebol do Patrick, pois é muito irregular. William é péssimo e David é ex-jogador.

Meias? Quase não temos, mas apesar de que sei que muitos discordariam de mim, eu manteria o Léo Lima. Por mais que ele jogue mal às vezes, ele tem um passe importante para os atacantes, além de ser um grande líder em campo. Léo Sena deve ser mantido também, e vai ser difícil tirar a posição dele até mesmo no ano que vem. Tem um futebol primordial.

Devemos contratar também. Não pensei em todos os nomes que poderíamos trazer, mas como a torcida gosta de retorno de ídolos para o clube, tragam Egidio, que é muito criticado no Palmeiras e o zagueiro Rodrigo, que está sem clube após ser dispensado do Vasco. Não adianta muito citar nomes aqui. É melhor deixar isso com Harlei, que de acordo com o que li, se preparou para voltar ao Goiás (duvido muito). Essa história já foi dita em 2015. Só espero que ele tenha feito um curso de verdade e não jogado Brasfoot pra sair falando que entende de futebol.

Wagner Oliveira

Tags:, , , ,

6 Comentários Quero comentar!

  • Tenebroso, sombrio o ano de 2017 para o Goiás. Digo isso, pois não vejo ações vindas da direção. O que se vê são boatos e muito, mas muito “buxixo.”

    A saída de Sergio Rassi se faz necessária, ele não acrescentou nada, absolutamente nada em 3 anos de mandato. Aliás, esse Senhor tem a “alcunha” de ser o pior presidente a passar pelo Goiás, o famoso colecionador de fracassos.

    A volta de Harlei. Penso que será benéfica, ele está se aprimorando, fez vários cursos, participou de palestras e conseguiu penetrar no difícil mundo dos empresários de futebol, e isso é importante. Harlei qdo assumiu o futebol do verde, não tinha experiencia devida e pagou por isso, mas hj, penso que ele poderá ajudar sobre maneira.

    Renovações, sinceramente não acredito que fique ninguém que se destacou.

    O Goiás precisa de novos ares, novos rumos e isso só será possível quando o cancer chamado Pinheiros saírem do clube, e como isso é quase impossível, prevejo um 2017 tenebroso, cinzento…

    Comentário by cicero jr — 14 de outubro de 2016 @ 13:30

  • eu entendo que o goias precisar fazer uma reformulação na diretoria la tem muita gente brincando de fazer futebol e isso só faz afastar o torcedor.

    Comentário by wanderval pereira de queiroz — 14 de outubro de 2016 @ 13:32

  • Bom dia a todos!
    Talvez ou provavelmente eu seja o único a aprovar a gestão do Dr Sérgio Rassi. Mas em partes, ok! Administrativamente e Financeiramente, provou ser o melhor de todos os tempos, porém sua falta de “canxa”, por confiar em que não devia, falta de “tempo” pra estar 100% no clube e PRINCIPALMENTE as interferências “superiores” no quesito FUTEBOL foi desastroso. Muito triste ver o retrocesso do Goiás desde a saída do R.Q na parte de futebol. Estamos a beira da idade das Cavernas, e na verdade, a Sombra da entrada pra Caverna está mais a vista do que A chega as Alturas! Saindo o DR S.R, ai sim, teremos duas peças (presidente e Diretor de futebol) controladas por controle remoto. Repito: LASTIMÁVEL.

    Comentário by Wendll Faleiro — 14 de outubro de 2016 @ 13:59

  • Olá, Wagner

    Belo texto, embora em discorde em alguns pontos.

    Embora o Harley tenha sido o Diretor de Futebol quando o Verdão caiu para a Série B, a situação da época era completamente diferente. Ele pegou o Verdão com o menos orçamento de todas as equipes da Série A de 2015. Todos prevíamos que o Verdão cairia no ano passado. Apenas estou dizendo que nenhum outro diretor de futebol conseguiria fazer um bom papel no ano de 2015 no Campeonato Brasileiro. Acredito que o Harley foi fritado pelas circunstâncias daquele ano e também acredito que não deu para avaliar o seu potencial.

    Em relação às dispensas, eu concordo com a maioria, mas discordo em alguns pontos. Dos goleiros eu não manteria nenhum. Também mandaria todos os zagueiros embora, com exceção do David (prata da casa). Eu não mandaria embora o Patrick, mas não renovaria com o Léo Lima, cuja idade faz com que ele não marque, o que é fundamental no futebol moderno.

    Já no ataque, parece-me que o Rossi está em conversas para renovar, enquanto o Walter tem mais um ano de contrato. Seria interessante manter o Gamalho, mas realmente ele estará valorizado.

    No mais, é montar um novo time. Fico vendo o nosso co-irmão Atlético Goianiense fazendo uma bela campanha com menos da metade do orçamento do Verdão. Isso chama-se competência futebolística, o que o “colegiado” que administra o Verdão não possui. Isso está provado!

    Comentário by Almir — 15 de outubro de 2016 @ 12:49

  • pela o tamanho do goias um do clube mais estruturado do brasil fazer um campeonato tao midiculo desse que diretoria fuleira e essa pelo amar de deus gente o goias hoge tem totcedor no mundo todo e entra um bando de canalha desse ai so pra dizer que e presidente.vamos ser um goias aquele goias que da gosto si ver que venha dar orgulho de dizer eu so goias com muito orgulho eu ainda acredito no verdao

    Comentário by divino — 9 de novembro de 2016 @ 16:02

  • infelizmente iremos morrer afogados mais uma vez na b isso se nao formos conhecer a c que diretoria ridicula.

    Comentário by jorge luiz costa — 5 de março de 2017 @ 6:18

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário