Clássico de Domingo está sendo visto como a Redenção para um e a crise profunda para outro 6 março 2015 RUAN E BOCÃO

O Goiás enfrenta o atlético no próximo Domingo no Serra Dourada, mas totalmente diferente do confronto do primeiro turno, quando o time Alviverde era líder do seu grupo, hoje o Esmeraldino é apenas o 3º do grupo, com 12 pontos. Esse clássico devido a condição das duas equipes, o Atlético caso o campeonato terminasse hoje, não estaria nas semi finais da competição. Esse fator tem colocado essa partida como, uma redenção para um e a crise para outro.

No Alviverde, o comandante técnico Wagner Lopes “soltou os cachorros”, após o empate em casa diante do Crac, Wagner soltou o verbo principalmente aos atletas recém promovidos da base, e disse que mudará o time. Para se ter uma ideia, dos 6 jogadores promovidos com até 21 anos da base, apenas Felipe Saturnino e Erik foram mantidos na primeira formação no treino de ontem.

Estão fora: Felipe Macedo(zagueiro), Murilo (volante), Arthur(meia), Everton (lateral direito) e Bruno Henrique(atacante). A manutenção de Saturnino se deve à falta de um outro jogador da posição. Diogo Barbosa, que fora contratado ainda na pré-temporada, cumpre suspensão pois caiu no exame antidoping quando ainda atuava pelo time do bairro de Campinas.

Para o clássico, o time que entrará em campo terá um pouco mais de experiencia, são eles: Bocão no setor direito, Junior Lopes na zaga, Juliano como segundo volante e Ruan e Danilo no ataque. Pelo que se pode perceber no treino dessa quinta-feira é que o Goiás terá a formação 4x3x3, formação essa que foi usada na primeira partida do certame Regional. Nos jogos subsequentes o esquema era o 4x4x2.

O experiente goleiro Renan em entrevista disse “O treinador ainda não definiu o time, eles está testando opções. Aqui para nós chegam informações que nosso adversário também está testando opções. O Capitão Esmeraldino considera muito complicado essa transição da base para o time Profissional. “A oscilação faz parte do processo.”

Renan ainda apontou que os jogadores com mais rodagem no futebol devem dar segurança aos mais jovens para que eles possam assimilar melhor as cobranças. O goleiro Esmeraldino deixa claro que para a sorte do Goiás mudar, está no trabalho. Para ele, quando o Goiás conseguir encaixar, irá ficar para trás o rótulo de “equipe imatura e inexperiente”.

Foto: O Popular

1 Comentário Quero comentar!

  • Meus amigos do esporte (como diria o saudoso Jairo Rodrigues)

    Esse classico esta tao sem graca que acho ate que os proprios jogadores nao estao querendo nem mesmo entrar em campo. Os dois times sao ridiculos, sem jogadas ensaiadas, sem ofensividade alguma, muito mal treinados, uns verdadeiros arremedos te times de futebol. Esses dois times precisam de muita coisa para serem somente ruins. O Verde entao, meu Deus! Esse e o pior time de todos os tempos! Como pode uma equipe como o Goias conseguir marcar dois gols apenas contra o “poderosissimo” crac, tomar dois logo em seguida e mesmo assim aceitar passivamente? Cade o tecnico? Cade a Diretoria que nao Cobra? Jogar no Goias ultimamente esta sendo tao bom como trabalhar para o Governo Federal em Brasilia, ou seja, ganha-se muito bem e nem precisa jogar! O que isso? Cade a vergonha na cara dessa cambada? Eu com 50 anos corro muito mais do que o Erik com 18. Assim e pra acabar! Ou muda de atitude ou passa a regua.
    Abraco a todos e muita reza nesse final de semana. Nao acredito na vitoria e gostaria realmente que perdesse para que a Diretoria tomasse uma medida maus austera, entretanto do outro lado tem outro morto, entao, que seja o que Deus quizer!

    Tony

    Comentário by Tony Falico — 6 de março de 2015 @ 14:50

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário