Ausência de plantel e erros táticos: os fatores da derrota 31 agosto 2015 walter

O Atlético Paranaense descobriu, aos 20 minutos do primeiro tempo, o quê precisava fazer para vencer o Goiás: colocou um homem entre as duas linhas de quatro esmeraldinas e outro homem entre Alex Alves e Diogo Barbosa. O goleiro Renan salvou na primeira chance com Marcos Guilherme:

Walter recua para fazer o papel de pivô. Marcos Guilherme recebe na cara do gol, mas Renan faz grande defesa (Reprodução: PFC / TV GLOBO).

 

Aos 26, foi fatal. É incrível a semelhança do lance do gol com o primeiro lance: Fred não teve velocidade suficiente para estourar Nikão, Alex Alves olhou só a bola e esqueceu o seu marcador e Walter penetrou entre o zagueiro e o lateral esquerdo.

Nikão tem tempo e espaço para jogar. Walter, assim como Marcos Guilherme, penetra entre Alex Alves e Diogo Barbosa (Reprodução: PFC / TV GLOBO).

 

Num plantel em que o Goiás não tem onze jogadores titulares para disputar a elite do futebol brasileiro (falta, pelo menos, um meia pela esquerda), as ausências de Felipe Macedo e Felipe Menezes foram amplamente sentidas.

Bruno Henrique extrapolou todos os erros admissíveis nas transições ou definições ofensivas. Foi o líder de passes errados do jogo, com 9 tentativas frustradas, dois cruzamentos completamente equivocados e foi quem mais perdeu a posse de bola para o Verdão.

Alex Alves não tem a mesma competência que Fred tem para fazer a cobertura ou Felipe Macedo para fazer o primeiro combate. Errou, também, no posicionamento, deixando Walter em condições legais para abrir o placar.

Alex Alves mal posicionado no lance do gol de Walter (Reprodução: PFC / TV GLOBO).

 

No pênalti de Rodrigo, Alex Alves não exerceu pressão no portador da bola. David também não dobrou a marcação. Mas o mais grave foi o posicionamento dos dois: nunca um volante deve fazer a cobertura do zagueiro – isso foi exaustivamente orientado por Julinho Camargo nos treinos. Daí vem o buraco que Rodrigo precisou ocupar, mas cometeu pênalti em cima de Hernani.

No lance do pênalti de Rodrigo, Alex Alves não exerce pressão no portador da bola e David perde a oportunidade de dobrar a marcação. Se o volante estiver fazendo a cobertura do zagueiro, é porquê o posicionamento está errado (Reprodução: PFC / TV GLOBO).

 

Com o sistema ofensivo anulado e um sistema defensivo digno de time rebaixado, o Goiás demonstra suas fragilidades numa semana terrível.

Rodolpho Chinem

(Foto destaque: A Tribuna)

Tags:,

1 Comentário Quero comentar!

  • Parabéns pela análise.

    Comentário by Ivanez — 31 de agosto de 2015 @ 12:14

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário