A verdade machuca. Dói até na alma… 5 abril 2015 feliz niver

O encontro dos velhos amigos seria em um buteco no centro de Goiânia. Território neutro. O que vestia vermelho vinha da parte leste da cidade e desceu eufórico do metro-bus. Estugou o passo. Não poderia deixar encontrar o conhecido de tantos anos naquela data tão especial. Ao avistar o antigo parceiro trajado com manto verde, disse aos berros: “Setenta e dois anos amanhã, féla da gaita?? Tú já tinha que ter morrido, infeliz, pra parar de dar trabalho! Credo’in’cruiz”. No mesmo momento, o companheiro da campininha vestido de rubro-negro, desce – de forma pedande – do fusca azul calcinha, completando: “É Brabo, viu…?? vaso ruim não quebra fácil mezo!”. O esmeraldino não se fez de rogado: “Qual nada, seus farofêros!! Esse imitador de flamengo é de 1937 e você coloradinho, também é de 1943!! Não vem não…!!”

Após alguns resmungos mútuos, que apenas parceiros de longa data suportam, o trio sentado à mesa do pitoresco botequim “pé-sujo”, iniciaram animado bate-papo.

Logo a provocação tomou corpo: “E a macambira?? Nóóóóóó… agora é bairro de gente fresco, né?? Que chic, hein, moxé??” O contra-vapor veio de bate-pronto: “Pois é… em compensação a Vila Nova e a Campininha continuam arcaicos e pobres como sempre foram, né?? Nem os shoppings-centers não investiram por lá… ah nein!!” Risos entrecortados por um gole e outro de cerveja marcavam o inusitado encontro.

O personagem da zona sul se vangloriou: “Não fosse por mim, não existiria futebol por essas bandas…! Eu já fui à final de um torneio Sul-Americano. Não ganhei porque fui literalmente garfado pela arbitragem!! Agora, olha vocês dois… são uma vergonha para a terra dos pequis! Velhos desse tanto e fazendo bobagens!! Um me fez o favor de colecionar o recorde de conseguir dois rebaixamentos no mesmo ano e o outro deixou escapar o acesso à divisão de elite perdendo para a cobra coral em pleno Serra Dourada. Fracos… fracotes demais!”. A frase desafiadora foi encerrada com estrondosa gargalhada. O tom provocativo irritou os demais. O Dragotixa era peitudo: “Não vem não, seu verdinho metido!! Vc também deixou escapar a classificação para a Libertadores perdendo, em pleno Serra Dourada para um peixinho que nada mais pretendia no campeonato!”. Silêncio total que o panetone, talvez por falta de argumentos, não ousou quebrar.

O garçon ofereceu mais uma cerveja e um tira-gosto e eles retomaram o trílogo. Alfinetou o colorado: “O Vila tem a melhor torcida!! Que vergonha esses torcedores de vocês, hein?? Vocês só tem papo… Mas tá tudo certo! Se o time é medíocre, o público é pífio mesmo. É pra combinar, né?!?”. Risos irônicos… Mas uma vez, o periquito exaltado, esbravejou: “Que nada, Vyla Rosa!! Quem é você para falar de time medíocre?? Time que contrata o boca de sacola não vai pra frente… Olha, vocês conseguiram levar esse bando de gente no estádio, porque é a primeira vez em muitos anos, que existe uma possibilidade real do time ganhar um trofeuzinho. Muito mixuruca, por sinal! Segunda divisão do goiano… Isso lá é título?!?”. Novo silêncio ensurdecedor.

times_goianienses

Uma voz longe e sufocada se fez ouvir. Alguém vinha dos lados da Avenida Paranaíba, a passos lentos. Amparado por uma bengala, vestido de alvi-negro, caminhando com dificuldade e resmungado como se estivesse contrariado com tudo, um velho caquético se aproximou: “Quer dizer que vocês não me esperaram para comemorar o aniversário do pseudo-gigante?? Tá certo…!” O Dragotixa retrucou ironicamente: “Ora, Ora, se não é o galinho garnizé, ressurgido das cinzas… Você tá bem de fôlego né, vovô?? Já conseguiu chegar ao mesmo nível do Vylinha na segundona, classificando-se para o quadrangular final… Quem te viu, quem te vê, hein??” Altas gargalhadas ecoaram pelo recinto.

O papo era animado, contudo, era fácil perceber que havia uma espécie de complô dos três velhotes com o aniversariante do dia seis de abril. Ele era, sem dúvidas, o alvo preferido.

Inopinadamente, o rubro-negro tocou o dedo na ferida: “Você se vangloria, se intitula o grandão do centro-oeste do País, mas se porta como um amador!! Como é que você contrata esse magote de jogadores ruins para a disputa do campeonato regional?? Não se aproveita ninguém… E mais: como você demite – para a imprensa – seu técnico na terça de manhã, mas mantém ele na condição de demissionário no cargo até quarta à noite, sendo que você tinha um compromisso que valia a passagem de fase na Copa do Brasil?? Ah não… é muita imaturidade para quem vai fazer setenta e dois anos amanhã!! Mas já sei… isso é coisa do seu velho pai, né?? O faraó imortal que manda e desmanda e trata você como um brinquedinho, não é mesmo?? Sabe, moxé, isso está com jeito, gosto e cheiro de catástrofe, semelhante àquela mesma ocorrida em 2010. Já vi esse filme. O Faraó nunca aparece, manda seus recados pelo príncipe. Ambos não falam a língua do Presidente que eles mesmo empossaram no cargo. Este, por sua vez, não fala o mesmo idioma do diretor de futebol… Isso tem cara de desastre, periquito, será que você não entende?!? Tem todos os sintomas de rebaixamento... O esmeraldino se levantou de forma abrupta, fez menção de ir embora, foi até seu automóvel de luxo e desarmou o alarme digitando a senha na própria maçaneta… Desistiu. Voltou ao balcão, pagou a conta e saiu do botequim com dedo em riste para os três amigos/rivais lamentando, com lágrimas a escorrer pelos olhos: “Vocês sabem, como ninguém, estragar uma festa de aniversário…”

Isso é tudo, por hoje, Família Esmeraldina! Até domingo que vem…!!

Juninho BILL

Tags:, , , ,

11 Comentários Quero comentar!

  • É Juninho infelizmente é desse jeito aí mesmo, eu estou triste com tudo que vem acontecendo no Goiás, e um time que vai fazer 72 anos não deveria ser tão amador assim. Mais parabéns Goiás Esporte Clube, time que amo por demais.

    Comentário by Dyeine Costa — 5 de abril de 2015 @ 11:11

  • Sensacional Juninho! risos… Você descreveu muito bem o que seria uma conversa de boteco hoje, entre os times da Capital. Em tempo: como é sábio esse Goiânia hein?! Parabéns mais uma vez! Abraço!

    Comentário by Neto Rocha — 5 de abril de 2015 @ 11:18

  • E barão do toca e a pura realidade do nosso time pifio que essa diretoria fez, eles vão ter quer reformular um novo time para o brasileirão caso eles não queiram cair nem. Porque com essas peça que se encontra difícil permanece, mais acredito que no fim desse velho campeonato goiano eles vem com um reforços que podem pelo menos se permanecer OU lutar por uma posição digna que nós torcedores merecemos nem …… Mais com diz meu “cumpadi” VQS …..
    GOIAS ESPORTE CLUBE
    PARABÉNS
    PELO 72 ANOS……..
    Bela coluna Bill

    Comentário by ludmilla — 5 de abril de 2015 @ 11:41

  • Primeiro eu rir até a calça cair, chorar outro tanto … Aí sim vou comentar!!

    Comentário by Graciano Arantes — 5 de abril de 2015 @ 11:54

  • Grande amigo Graciano, desde já, peço-lhe sinceras desculpas por ter vindo embora sem lhe visitar… Porém, daqui uns dias estarei aí de novo e nos encontraremos com toda certeza!! Quanto à coluna, mija na cueca aê!!! rsrsrrss
    Ludmilla, obrigado pelo prestígio… Também tenho fé que vai melhorar!
    Neto Martins… Escutei sua risada daqui…!!! rsrsrrs
    Dyéine, obrigado pelo prestígio da sua leitura!! VQV!! Para o brasileiro tenho fé que as coisas mudarão!!

    Comentário by Juninho BILL — 5 de abril de 2015 @ 11:58

  • Muito legal… excelente… Ainda bem o velhinho Colorado não se lembrou do principal feito de sua história. A virada do lendário 5×3. Kkkkk

    Comentário by Vinicius de Sousa — 5 de abril de 2015 @ 12:26

  • O texto foi perfeito meu amigo Bill você contou a história dos times goianos em forma de prosa e verso,ficou muito criativo e engraçado… agora sobre nosso verdão da serra não temos muito coisa pra comemorar, a cada ano que vai se passando vou perdendo mais a esperança de um dia o Goiás ser grande,ganhar títulos expressivos!!!Parabéns meu amigo Feliz Páscoa pra todos nós esmeraldinos

    Comentário by Wanderson Frose — 5 de abril de 2015 @ 12:30

  • Genial Cumpádi Barão você retratou nessa conversa de mais de 280 anos (soma-se os 4 vellhinhos), o que aconteceu, o que acontece e o que pode acontecer. Parabéns ao nosso amado Goiás Esporte Clube o velhinho com mais “história” entre eles, mas como canta nossa torcida : Ahhh eu quero maisss, vai pra cima deles Goiássssss!!! Esperamos ansiosamentes por conquistas além do Estado, Região e série B do Brasileirão. A realidade infelizmente hoje nos deixa mais longe desse sonho, mas somos esmeraldinos, somos verdes esperança e assim como em nossas vidas sempre acreditaremos que o melhor ainda está por vim. Abraços meu querido Cumpádi!!!

    Comentário by Manoel Fernandes — 5 de abril de 2015 @ 13:27

  • Meus amigos queridos, Cição, Vinícius, Wanderson e Cumpádi Manelão!!
    Feliz por vcs terem gostado e levado algum sorriso em seus lábios nesse domingo de páscoa!
    Também estou chateado com as atitudes da diretoria, por isso fui satírico e como forma de alfinetar o Goiás, lhe impingi um final triste para a festa de aniversário!!
    Vamos em frente, torcendo por dias melhores!!!

    Comentário by Juninho BILL — 5 de abril de 2015 @ 13:33

  • Grande Juninho Bill, sempre nos brindando com ótimas crônicas no nosso Domingo. É verdade meu amigo, comemorar o que? Nosso querido e amado Goiás completa mais um ano de vida na próxima segunda, 06 de Abril. Agremiação bradada aos quatros cantos do País, por sua grandeza e por sua organização, mas isso foi outrora. Hoje resta-nos torcer pela entidade, pela agremiação alviverde, pois a nossa diretoria vem sendo sucateada, ultrapassada, com métodos esdrúxulos,estapafúrdios e grotescos na forma de administrar. O Goiás precisa ser oxigenado, mas enquanto lá estiver os atuais mandatários a tendencia é o maior time do Centro Norte do País, ir se apequenando a cada temporada, indo de encontro aos seus pseudos rivais regionais.

    Comentário by Cícero Junior — 5 de abril de 2015 @ 13:43

  • Belo texto, Juninho.
    Parabéns ao VERDÃO pelos 72 anos de existência, porém que não continuem (diretoria) estragando a própria festa de aniversário como fazem recorrentemente, principalmente quando parece que não respeitam seus próprios convidados (torcida).

    AVANTE, GOIÁS…AVANTE, VERDÃO…CONTIGO, SEMPRE!

    Comentário by Vinicius Claudio — 6 de abril de 2015 @ 0:06

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário