A desconfiança que assola a nação esmeraldina 23 maio 2017 THIAGO

Confiança é um termo derivado do latim que basicamente se remete a esperança, ter fé, confiança, é simplesmente o mesmo que acreditar que, aquilo que se está sendo feito vai dar certo, terão resultados esperados, vai se obeter sucesso, mesmo que muitas vezes não se tenha certeza de nada é pura expectativa.

Isso é feito através de informações que obtemos das pessoas e organizações ao longo de um período ou até mesmo experiências anteriores, muitas vezes consolidada em relações amorosas, de parcerias, de fé, na expectativa que se cria em torno de determinado evento…

Um aspecto básico que nos falta é a confiança… Assim como nas vendas, no marketing(criação de relação entre marca e clientes) e principalmente economia, o fator confiança é fundamental na construção de uma imagem, de um modelo, de uma identificação que dê credibilidade, que nos propicie a criar algo. Investir e não ter medo em relação ao futuro.

O Goiás por anos desacreditou sua torcida, cometeu muitas lambanças, criou desconfiança sobre o futuro além de criar uma imagem totalmente negativa. E com isso começou a mostrar uma imagem de pequenez.

Não existe uma pessoa(torcedor) sequer, que confie 100% no clube(até mesmo aqueles que são os mais otimistas como os famosos “ALICES”, não criam expectativas ou acreditam que algo vai mudar rapídamente, o que as pessoas têm dito de dentro do Clube só é mesmo creditado, quando de fato se concretiza, e quando isso acontece, todos ficam logo com o pé atrás, idas e vindas, decisões errôneas, prejuízos atrás de prejuízos, pensamento arcaico, o futebol deixado de lado, a economia burra, essas são questões que podemos captar no dia a dia e que trouxeram toda essa desconfiança, isso dito pelos próprios torcedores, é isso o que o Goiás credita hoje, essa é a visão do seu torcedor sobre o clube.

Não tem como criar uma relação de proximidade, de consumo, de parceria, com esses níveis de credibilidade e confiança tão baixos, tanto que isso reflete nas arrecadações, seja na área comercial(patrocínios, licenças e parcerias comerciais diversas), seja com seus torcedores(presença em estádio, nação esmeraldina, etc), até mesmo na formação de elenco isso tem influenciado.

Enquanto essa confiança não for recriada, tudo que teremos serão lampejos do que um dia foi nossa torcida e clube, com baixos públicos, baixo engajamento assim como é o Nação hoje em dia. Isso faz com que as pessoas queiram apenas alguns momentos apropriados e oportunos para elas, tratam o Goiás exatamente como ele tratou sua torcida durante anos…

Quando resolvemos participar de uma campanha como é o nação, (Também vale para um patrocinador) queremos ter a certeza de que será COMPENSATÓRIO, de que você irá investir e terá retorno, de que isso RESOLVERÁ OS SEUS PROBLEMAS(ora ora ora qual é o grande problema/desejo/necessidade do torcedor do Goiás nos últimos anos? TÍTULO DE EXPRESSÃO/TIME COMPETITIVO. E sem essa promessa, aliada a um bom planejamento, esqueça não terá engajamento, basta parar um dia, acompanhar todos os grupos de watts e de facebook e vai constatar isso (tenho certeza que já sabem).

Zig Ziglar um escritor americano que fala sobre negócios diz o seguinte: “falta de necessidade, falta de dinheiro, falta de pressa, falta de desejo e falta de confiança, são os principais entraves para uma negociação, uma venda ou até mesmo o sucesso de uma empresa” o que a gente nota claramente na relação entre Goiás x Torcida.

Bom, acho que depois disso não se é preciso dizer muito mais, a não ser o fato de que CONFIANÇA é algo que se conquista com ações, que cria percepções e ESTADOS nas pessoas, basicamente uma empresa deve confiar “muuuuuito” em si mesma, coisa que o Goiás não passa hora nenhuma, haja vista as declarações constantes de que título é prejuízo, que é impossível o Goiás ser campeão, de que o Goiás não dá conta, de que se for campeão o Goiás quebra, que não tem dinheiro, que não consegue achar jogadores, que não deu certo por isso ou aquilo, sempre com uma DESCULPA ESFARRAPADA, mas nunca assumindo sua incompetência, numa alusão direta ao fato de que então, nunca seremos campeões de nada por culpa do destino, o que é inaceitável para nós torcedores…

Na minha visão, pelo que já vivi, e acompanho, é exatamente o que nos tira dos Estádios, nos priva de participar mais ativamente da vida do clube, de estar participando das campanhas…Todos os que conhecemos hoje, que são assíduos em estádios, que ainda compram materiais, que se associaram através do nação, possuem outros gatilhos para o engajamento, sem esperar nada em troca, são pessoas que não compraram a ideia principal que todos tem de futebol vencedor, não é essa a ideia que atrai esses torcedores.

Seria possível criar uma relação independente com a torcida, sem oferecer o que ela realmente quer? Eu não sei(Pra não dizer NÃO logo de cara), precisaria estudar muito bem toda a questão para saber, penso que anos atrás, no início dos anos 2000 até final de 2012 isso seria bem mais fácil, mas hoje, apenas com uma mudança muito bruta de posicionamento dentro do clube, de mudanças estruturais e gerenciais muito fortes isso seria possível, eu acho que o principal objetivo do Marketing e principalmente da DIREÇÃO do clube, deveria ser a busca da reconstrução dessa imagem de confiança e credibilidade, os parceiros comerciais geralmente querem expor sua marca e agregar valor com marcas que exatamente passam confiança para o seu cliente, que agreguem valores a marca, por isso grandes jogadores sempre são alvos de campanhas publicitárias milionárias como Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar.

Acho que o ponto de partida para encontrar esses parceiros deveria ser exatamente a RECONSTRUÇÃO dessa identidade, a reconstrução da credibilidade, a reconstrução de um clube grande, de identidade esmeraldina, isso seria benéfico tanto para o clube que teria tal retorno financeiro e de engajamento da torcida, quanto das marcas que estariam envolvidas diretamente na reconstrução de um dos gigantes do futebol brasileiro, é isso que uma marca sempre procura, agregação de valor, esse é o tipo de relação que mostraria a força de ambas as marcas e traria de volta ao cenário Nacional, aquele mesmo clube e time que fez com que milhões de esmeraldinos se formassem Brasil afora, que identificou essa massa.

É como dizem, atitudes fazem a diferença, tá na hora de o Goiás mudar de atitude, resgatar a confiança da torcida no clube, no time, resgatar a credibilidade que o Goiás tinha no mercado, nos campeonatos, mas para isso é preciso que todos acreditem que realmente é possível, principalmente nossa própria Diretoria, que sem acreditar ser possível, sem acreditar em si mesmos, nos guiou sem rumo nesses últimos 5 anos, para os maiores fracassos a nível nacional de nossa história…

“Confiança é como uma borracha, a cada erro fica menor”…

Thiago Rosa de faria, formado em Gestão Executiva de Negócios pela Faculdade Cambury, empresário, torcedor do maior clube e membro da maior organizada do centro-oeste…

4 Comentários Quero comentar!

  • Ótimo texto… Vale a pena ler é o sentimento atual!!!

    Comentário by J junior — 23 de maio de 2017 @ 19:18

  • QUANDO GANHA DO VILA ROSA TODOS OS INCOMPETENTES APARECEM!!!

    CADE O SERGIO “GAGÁ” RASSI;
    CADE O JUNIOR VIEIRA (PUXA SACO DO MARCONI PERILLO);
    CADE O EDIMINHO PINHEIRO.

    ONDE VCS ESTÃO PARA DAR SATISFAÇÃO, BANDO DE INCOMPETENTES!!!

    Comentário by FABIO ANTONIO DA SILVA — 24 de maio de 2017 @ 12:23

  • Thiago , excelente o seu texto !!

    Infelizmente para nós torcedores do Goiás está reconstrução jamais se iniciará enquanto estivermos comandados por HAILE Pinheiro !!

    Ele jamais pensará em reconstrução pois para ele o Goiás está muito bem da forma como é administrado!

    Enquanto o nosso clube for de um dono só ( HP ) continuaremos com os mesmos ERROS!

    Comentário by Ary Jr. — 26 de maio de 2017 @ 14:58

  • NEM O GUARDIOLA, TITE, MOURINHO, O TIME E RUIM, O SENHOR PRESIDENTE DO GOIÁS EC, ALÉM DE TUDO DE RUIM AINDA NÃO TEM PALAVRA, UM DIA ANTES ELE DISSE QUE O CRICIÚMA NÃO SERIA O TÉCNICO, NÃO ADIANTAVA NINGUEM COGITAR, 24 HORAS DEPOIS ELE ANUNCIA O CARA, E MUITA INCOMPETENCIA PRA UM CARA SÓ. EU ADORARIA QUEIMAR A LINGUA, QUE O CRICIÚMA FOSSE UM NOVO CUCA E ENDERSON MOREIRA, QUE QUANDO AQUI CHEGARAM NINGUEM ACREDITAVA, MAS ACHO DIFÍCIL.

    Comentário by CESAR PETRI — 29 de maio de 2017 @ 9:22

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário