A complexidade do “Caso Walter” 27 fevereiro 2017 walter

Walter correu o risco de ser demitido por justa causa. Mas, judicialmente, alguns fatos precisam ser levados em consideração: a justa causa precisa ser imediata e não se pode punir duas vezes pelo mesmo fato. Em outras palavras, Walter não deveria ter viajado para Rio Verde. Porque o Goiás perdeu a oportunidade do imediatismo. Na verdade, independente do tipo de punição, ele não deveria ter sido convocado, por causa do absurdo que é agredir um colega de profissão. Mas, inexplicavelmente, foi.

Com o caso (muito bem) abafado na imprensa, Walter estava em Rio Verde quando, quase 12 horas depois do acontecimento, a diretoria mandou ele voltar. Aí a repercussão foi imensa. As redes sociais pipocaram até de madrugada. De manhã vieram as entrevistas. Disseram que ele está suspenso até quarta. Oras… Suspensão é um tipo de punição. Portanto, não podem suspender e depois demitir por justa causa (não se pode punir duas vezes pelo mesmo fato, lembra?).

E o ex-goleiro e atual gestor de futebol Harlei deu entrevistas soltando todo o teor da conversa que teve com Walter. Já imaginaram agora como vai ser o papo dos jogadores com o seu superior, sabendo que ele pode pegar o microfone e soltar todo o conteúdo na imprensa?!?!?!

As hipóteses para a decisão que será tomada na quarta são:

O Goiás demite o Walter alegando justa causa, mas corre o risco de ter que se defender de uma ação milionária no futuro.

Ou…

O Goiás demite mesmo assim e já paga tudo o que está no contrato.

Ou…

O Goiás e o jogador fazem uma rescisão amigável, se tornando bom financeiramente para ambas as partes.

Ou…

Aparece algum time interessado em assumir a dívida que o Goiás tem com o Porto, além de bancar o seu salário. Foi o que o Goiás fez com o Atlético Paranaense.

Ou…

O atleta depois de sofrer a punição (já aplicada, diga-se de passagem), é reintegrado ao elenco esmeraldino. Pede desculpas em público ao goleiro Matheus e lava a roupa suja DENTRO DOS MUROS DA SERRINHA.

E bola pra frente.

Rodolpho Chinem

5 Comentários Quero comentar!

  • Ótima matéria, parabéns…

    Comentário by Paulo — 27 de fevereiro de 2017 @ 14:27

  • Parabéns pela matéria, o Família Esmeraldino é show de bola

    Comentário by Fred — 27 de fevereiro de 2017 @ 14:30

  • Belíssimo artigo. Disse tudo o amigo Chinem, e acrescento, perdemos todos nós com esses problemas do Walter e esta falta de habilidade dos dirigentes esmeraldinos de lidar com conflitos, perde o jogador, perde a torcida e principalmente, perde o clube.
    Walter está errado e a maioria das pessoas que o cercam, não sabem lidar com este tipo de situação e resolver sem prejudicar a todos!!!

    Comentário by Daniel Dias — 27 de fevereiro de 2017 @ 14:47

  • Lembre-se que lesão corporal é crime. Caso de polícia e não contratual. Esse indivíduo deveria estar preso!!!!!

    Comentário by Marcos — 27 de fevereiro de 2017 @ 17:23

  • Acredito que a única solução no momento seria uma recisão amigável. Pois não pode ser mais demitido por justa causa e não terá mais clima dentro do elenco.

    Comentário by André Balthazar — 27 de fevereiro de 2017 @ 18:43

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário